O Projeto o Samba da Praça é Nossa, realiza nesta sexta-feira (17), mais uma tradicional roda de samba na Praça Roberto Cintra em Ipirá, a partir das 19h. Só que o samba desta sexta-feira terá um atrativo a mais. Para homenagear o carnaval, os sambadores estarão realizando um misto de samba de roda e carnaval de salão, relembrando os antigos carnavais, com marchinhas, frevos e trio elétrico instrumental. Esta foi a forma que o grupo de samba Amigos Para sempre encontrou para unir os dois gêneros da cultura brasileira que estão integrados um ao outro. Conheça as histórias:

Origem do Carnaval
O carnaval é uma festa popular que surgiu ainda na Antiguidade com intuito de celebrar os deuses pagãos e a natureza. Foi reconhecida pela igreja e incluída no calendário cristão depois de muitos séculos, ainda hoje é comemorada no mundo inteiro. Possui características diferentes em cada país que o festeja.

O carnaval comemorado no Brasil sofreu influência de uma festa de rua, de origem portuguesa, o entrudo, que consistia em jogar farinha, ovo e tinta nas pessoas. Porém, a comemoração também passou por mudanças por causa do folclore indígena e a cultura africana, trazida pelos escravos. Todos esses fatores culturais construíram um carnaval distinto em cada parte do Brasil. O Rio de Janeiro é famoso pelos desfiles das escolas de samba, na Bahia os trios elétricos atraem milhões de foliões todos os anos e em outros estados, como Pernambuco e Minas Gerais, o carnaval de rua é o mais popular.

Origem do Samba
O samba surgiu da mistura de estilos musicais de origem africana e brasileira. O samba é tocado com instrumentos de percussão (tambor, surdo, timbau, pandeiro, entre outros) e acompanhados por violão e cavaquinho. Geralmente, as letras de sambas contam a vida e o cotidiano de quem mora nas cidades, com destaque para as populações pobres. O termo samba é de origem africana e tem seu significado ligado às danças típicas tribais do continente.

As raízes do samba foram fincadas em solo brasileiro na época do Brasil Colonial, com a chegada da mão-de-obra escrava em nosso país.

Já o samba de roda, surgido na Bahia no século XIX, apresenta elementos culturais afro-brasileiros. Com palmas e cantos, os dançarinos dançam dentro de uma roda. O som fica por conta de um conjunto musical, que utiliza viola, atabaque, berimbau, chocalho e pandeiro.

Após a roda de samba, a sonorização mecânica estará transformando a Praça Roberto Cintra num grande salão de baile para que todos possam mergulhar um pouco no passado, relembrando os antigos carnavais.

O Samba Boiadeiro de Ipirá
O samba boiadeiro de Ipirá, no passado era visto como coisa de matuto. Pouca influência tinha na sede do município, há não ser nas festas de Cosme e Damião, onde após servir o tradicional caruru de 7 meninos, acontecia o canto do Reis e em seguida os sambadores tomavam conta da sala, onde o samba acontecia até o raiar do dia.

Hoje após a iniciativa dos amigos Geraldino e Zé da Hora, surgiu o Samba da Praça a partir de uma simples brincadeira e hoje é a maior expressão da cultura popular sem fins lucrativos realizada em Ipirá.

Para esta sexta-feira, os organizadores do projeto Samba da Praça é Nossa esperam que o público compareça em grande número e que possam realizar uma festa em ritmo de alegria, paz e confraternização.

Caboronga Notícias