Nesta segunda-feira (02/12) o Brasil comemora o Dia Nacional do Samba. E para marcar a tão importante data desta nossa cultura popular, o Caboronga Notícias exibe uma reportagem mostrando a importância do samba boiadeiro, o samba que mostra a verdadeira raiz do povo do sertão baiano, que ao som da cuia, do prato, do pandeiro, da viola e da palma, expressa toda sua alegria depois da luta diária no ritmo da chula e do batuque.

2 de dezembro, o Dia Nacional do Samba

Sabe por que o Dia Nacional do Samba cai em dois de dezembro? Não, não é a data de nascimento de Tia Ciata. Também não é quando gravaram “Pelo Telefone”. Muito menos quando Ismael Silva e os bambas do Estácio fundaram a Deixa Falar. O Dia Nacional do Samba surgiu por iniciativa de um vereador baiano, Luis Monteiro da Costa, para homenagear Ary Barroso. Ary já tinha composto seu sucesso “Na Baixa do Sapateiro”, mas nunca havia posto os pés na Bahia. Esta foi a data que ele visitou Salvador pela primeira vez. Engraçado, não? A festa foi se espalhando pelo Brasil e virou uma comemoração nacional.

Em Ipirá no sertão baiano, o samba tipicamente rural, ganhou força quando os amigos Geraldino e Zé da Hora, resolveram improvisar uma pequena roda de samba na Praça Roberto Cintra, no centro da cidade numa noite quente de sexta- feira de verão. A partir dai, o movimento ganhou força e o samba boiadeiro invadiu a cidade, alcançando todas as gerações.

Seguem em vídeos abaixo, dois belos momentos do Samba da Praça de Ipirá. O primeiro foi o Arrastão do Samba, realizado na Avenida Cesar Cabral no desfile de 7 de Setembro de 2016.

O outro momento aconteceu numa confraternização de sambadores em um espaço de eventos. Mesmo sem o apoio do poder público, o Samba da Praça de Ipirá vem resgatando suas origens e cada vez mais se consolidando como a maior expressão da nossa cultura popular.


Esta é uma homenagem especial a todos os sambadores que mantem viva a tradição do Samba da Praça.

Viva o Samba!

Caboronga Notícias