Valor investido foi de apenas R$ 152,48 por morador durante o ano de 2017. O município de Gavião lidera o ranking com R$ 399,31.

No Território da Bacia do Jacuípe, Ipirá foi o município que menos investiu, proporcionalmente, com a saúde pública de seus habitantes durante o ano de 2017. Os dados foram divulgados na última segunda-feira (21) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e são referentes às declarações no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops), do Ministério da Saúde.

O levantamento mostra que, naquele ano, o maior valor aplicado por um gestor municipal da Região Bacia do Jacuípe, com recursos próprios, em Ações e Serviços Públicos de Saúde (ASPS), foi de R$ 399,31 por habitante, em Gavão. Em seguida, aparecem Nova Fátima (R$ 315,03) e Serrolândia (R$ 306,09).

Do lado oposto do ranking está Ipirá. O município investiu apenas R$ 152,48 por cada morador. Apesar de baixo, esse valor é ligeiramente maior do que o registrado nos dois anos anteriores: R$ 131,59 em 2016 e R$ 140,10 em 2015. Na penúltima posição aparece Quixabeira (R$ 167,82), seguida de Capim Grosso (R$ 173,75).

Considerando-se apenas a Bahia, a média de investimento foi de R$ 470,66 por pessoa. Esse valor supera a média nacional de R$ 403,37.

Veja abaixo os números dos municípios que compõe o Consocio da Bacia do Jacuípe.

Município e valor por habitante
1º Gavião – 399,31
2º Nova Fátima – 315,03
3º Serrolândia – 306,09
4º Pé de Serra – 282,33
5º Pintadas – 272,82
6º Várzea da Roça – 269,47
7º Serra Preta – 248,58
8º Baixa Grande – 231,39
9º São José do Jacuípe – 227,84
10º Mairi – 194,02
11º Capela do Alto Alegre – 193,92
12º Riachão do Jacuípe – 189,09
13º Várzea do Poço – 188,32
14º Capim Grosso – 173,75
15º Quixabeira – 167,82
16º Ipirá – 152,48

Por Ipirá Notícias com imagem de divulgação

COMPARTILHE
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •