APLB Sindicato dos TRABALHADORES E TRABALHADORAS em Educação é o maior sindicato do Nordeste e o segundo maior do Brasil. Carrega em seu bojo uma base social de 80 mil associados que promovem a luta o ano todo. A responsabilidade em estar dirigindo uma entidade como a APLB que é uma força política social paralela, que pode fazer frente a governos municipais, estadual e federal é tamanha e diante de um contexto político complicado onde permeia uma onda fascista dirigida por uma classe dominante golpista e conservadora a APLB têm atuado como protagonista.

Falando em APLB, há exatos 24 anos nascia em nosso município a única Instituição que defende os direitos dos trabalhadores em Educação. Uma Instituição que prima especialmente pela valorização de uma categoria que historicamente sempre foi massacrada e desvalorizada, inclusive com salários vergonhosos, jornadas de trabalho abusivas, funcionários de escola e creches completamente excluídos do processo educativo.

Durante esses 24 anos de existência, a APLB Sindicato sempre teve lado: O LADO DO TRABALHADOR! Isso é facilmente notado pela forma respeitosa e séria com que todos os dirigentes sempre atuaram. Nunca SE VENDERAM, ou estiveram ao lado de seus algozes. SOMOS UM SINDICATO DE LUTA! Além de defender a manutenção dos direitos e buscar novas conquistas para os trabalhadores em Educação, A APLB Sindicato também luta para combater todo tipo de opressão visando a construção de uma sociedade melhor para todos. Essas sempre foram bandeiras que fazem parte do dia- dia da APLB Sindicato.

Por isso, esse Sindicato aguerrido repudia toda e qualquer manifestação que tente desqualificar sua história de luta, não havendo nada que desabone a conduta dessa diretoria, que sempre esteve em todos os debates concernentes a Educação. Que nunca se furtou de fazer a LUTA, o ENFRENTAMENTO, nunca deixou de ir para as ruas, embaixo de Sol ou de chuva para denunciar as mazelas, não apenas contra os Trabalhadores, mas contra o sistema de ensino, as estruturas ofertadas ou a falta delas. E por conta dessa postura de quem sabe exatamente o que faz, tornou-se uma Instituição fortalecida.

Quem tem boa memória e sempre acompanhou as mazelas desse SAGRADO TORRÃO sabe da luta incansável da APLB Sindicato que JAMAIS esteve à serviço de nenhum “PATRÃO”. Sabe que a LUTA acontece diariamente no campo político, ideológico e jurídico. Por diversas vezes os embates aconteceram durante o próprio DEBATE de CONSTRUÇÃO, especialmente do PLANO DE CARREIRA, é isso mesmo, OS TRABALHADORES DE EDUCAÇÃO DESSE MUNCÍPIO TÊM CARREIRA, construído à duras penas, mesmo quando a participação da categoria não era tão efetiva.

O plano de carreira unificado sancionado em 2015 foi uma das maiores conquistas desse Sindicato, com ele os funcionários de escola passaram a ser reconhecidos e valorizados enquanto educadores, mas, para que isso se concretizasse foi necessário barrar uma contra proposta de plano, que ao invés de incluir, RETIRAVA DIREITOS. E pra quem tem boa memória, recorda-se que todas as possibilidades de diálogo foram esgotadas, para que em seguida a Instituição utilizasse todos os meios cabíveis e necessários, inclusive a GREVE para fazer valer o direito dos Trabalhadores.

O momento agora não é diferente, o viés do diálogo está sendo priorizado para que as pendências de avanços na carreira acumuladas nos últimos anos (mudança de nível, mudança de classe, unificação de cadastro, liberação de licenças, reserva técnica 1/3 de atividade extra classe), sejam sanadas. No entanto, enquanto conta-se a boca miúda que haverá retirada de direitos, DE CONCRETO o que temos é o atendimento dos pleitos pendentes. E, caso haja qualquer mudança de posicionamento com relação aos avanços na carreira, a APLB Sindicato sabe exatamente que caminhos trilhar. A caminhada nunca cessou e a luta de classe sempre esteve em evidência de maneira sólida e organizada.

Continuamos na defesa do direito de ingressar na carreira, através de concurso público, conforme determina a Lei. Frisamos no entanto que com o intuito de resguardar esse direito, inclusive o último concurso vigente fora prorrogado, bem como assegurar que as alterações de jornada de trabalho se concretizem (diante do número significativo de vagas reais para os diversos cargos da educação) a APB Sindicato impetrou mandado de segurança como mais um instrumento de fortalecimento da luta. Dito isso, refrescamos a memória daqueles que ouvem e fingem não ouvir as informações, que as deturpam ao bel prazer em prol de seus interesses particulares, que fazem questão de percorrer o caminho contrário com o objetivo de contradizer os fatos.

A intensa participação política da nossa entidade é uma demonstração de que ela não é letárgica, como querem fazer crer alguns, e nunca foi. As nossas ações em defesa e valorização dos trabalhadores e a busca incessante por uma educação pública gratuita e de qualidade rompem as barreiras locais. Recentemente, muitos puderam acompanhar o protagonismo desse Sindicato quando parou a educação da Bahia e foi destaque no Brasil. Durante dez dias participamos de uma agenda intensa de atividades de protesto (inclusive com ato em nosso município) contra as Reformas da Previdência e Trabalhista que agridem diretamente toda classe trabalhadora do país.

É notório que ainda precisamos avançar em relação a valorização dos profissionais em Educação, tendo em vista que alguns critérios do plano nunca foram colocados em prática e o processo de gestão democrática de escolha dos dirigentes, foi retirado ainda no momento de aprovação do Plano. Mas isso não desconfigura e não tira o mérito de todos os avanços já conquistados.

O banquete neste SAGRADO TORRÃO sempre foi servido AOS SENHORES DO PODER e ninguém jamais presenciou um diretor da APLB se lambuzando, nesta ou em outras gestões, com as iguarias ofertadas. A história de luta desse Sindicato mostra que os bonecos facilmente manobrados por outros e, diga-se de passagem, muitos funcionando como excelentes representantes teatrais, são sem dúvidas aqueles que se envergonhavam de sair às ruas, de segurar uma faixa, de gritar palavras de ordem e protesto ou mesmo participar das diversas assembleias e seminários organizados por essa Entidade. O gigante nunca adormeceu em berço esplendido.

Muitas pessoas não têm noção das dificuldades que esse sindicato passou para hoje ser “TÃO SÓLIDO”, talvez, seja por isso tão visado, tão atacado. E esses ataques muitas vezes são propositais para desarticular e fragilizar. A quem interessa de fato a desestruturação do Sindicato? Quem se beneficiará com a desorganização dos trabalhadores em Educação? Como não podem atacar a CATEGORIA em MASSA usam a DIRETORIA como escudo.

VIVA A APLB SINDICATO!
VIVA OS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO!
FORA TEMER!
DIRETAS JÁ!