Nova operação do Gaeco envolve integrantes do judiciário e advogados baianos

37

O Ministério Público estadual, por meio do Gaeco (Grupo de Apoio Especial de Combate às Organizações Criminosas), deflagrou na manhã dessa quinta-feira, dia 16, a segunda etapa da ‘Operação Inventário’, que investiga fraudes em processos judiciais em trâmite no Poder Judiciário baiano, supostamente praticadas por organização criminosa formada por advogados, serventuários e particulares responsáveis por falsificação de documentos.  Três pessoas foram presas, dois assessores de juiz e um hacker, e apreendidos mais de 100 cartões em nome de terceiros e empresas, computadores, celulares e HDs.

Os três mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Salvador, Lauro de Freitas e Ribeira do Pombal deferidos pela Vorcrim (Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa da Comarca de Salvador). Além disso, foram deferidos o afastamento de duas pessoas de suas funções públicas perante a Justiça baiana.

Nesta Fase, o Gaeco apurou indícios da prática de crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, fraude processual e uso de documento falso. A ‘Operação Inventário’ é fruto de esforço conjunto da Polícia Civil, por meio do Draco (Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado) e do Depom (Departamento de Polícia Metropolitana), da Polícia Rodoviária Federal, por meio da Superintendência Regional na Bahia e da Polícia Militar, por meio da CIPE – Nordeste.

Obs: Não haverá concessão de coletiva de imprensa ou entrevistas, por parte do MP da Bahia, neste momento, em razão do disposto no art. 38 da Lei 13.869/2019 (Lei do Abuso de Autoridade).

Fonte: Ascom / MP/BA