domingo, abril 21, 2024

NTE -15 emite Nota de Esclarecimento sobre a desativação do Colégio Monsenhor Alcides Cardoso em Ipirá

A professora Nivea, coordenação do Núcleo Territorial de Educação (NTE) Bacia do Jacuípe em Ipirá, através do portal Caboronga Notícias, emitiu Nota de Esclarecimento ao público sobra a desativação do Colégio Monsenhor Alcides Cardoso.

Confira abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Dada a implementação do Novo Ensino Médio no Brasil, e consequentemente em toda a Bahia, a Secretaria de Educação da Bahia tem trabalhado para o desenvolvimento e ampliação da oferta de Ensino Médio na rede estadual de ensino. Para tanto, tem investido na construção e implementação de escolas de tempo integral em todo o estado, o que exige um reordenamento da rede para atender às necessidades de todos os territórios, sem, contudo, onerar os gastos públicos, nem desassistir quaisquer estudantes ou profissionais da educação.

A situação do Colégio Estadual Monsenhor Alcides Cardoso não foge à regra. Embora seja uma escola que já foi de grande porte, com uma boa estrutura física, a mesma tem reduzido significativamente a cada ano seu número de matriculados, tendo inclusive caído para a categoria de médio porte e chegando agora a 2023 com menos de 25% de sua capacidade.

Manter funcionando uma escola com essa estrutura física representa altos custos para o erário público, ainda mais quando a escola abriga apenas 3 turmas por turno, totalizando somente 200 alunos quando outrora já pôde atender mais de mil, ou seja, o número de estudantes caiu drasticamente, mas os gastos com todo o aparato físico e de funcionamento da escola permanecem. O raciocínio é simples: se as 3 outras escolas da rede têm como receber e atender satisfatoriamente a estes estudantes do Monsenhor, não tem porque inflar os gastos públicos mantendo 4 escolas estaduais num mesmo município quando se pode garantir a mesma estrutura, qualidade de ensino e equidade de direitos com apenas 3 delas, enquanto temos a caminho uma grande e nova escola de tempo integral que irá literalmente integrá-las numa só.

Além das razões fiscais aqui expostas, o Monsenhor, assim como o Maria Bastos e o Maria Evangelina, com o conhecimento de suas respectivas gestões, já estavam previstos no plano de reordenamento da rede estadual com vistas à implementação do Ensino Médio e à ampliação da oferta de Educação de Tempo Integral na Bahia. Desse modo, exceto o CETEP que permanecerá com a oferta de Ensino Médio Regular e de Educação Profissional e Tecnológica, as demais escolas se integrarão numa só provavelmente ainda este ano, assim que a nova escola de tempo integral estiver pronta com sua megaestrutura composta por 36 salas de aula, laboratórios, biblioteca, auditório, quadra de esportes coberta, campo society, piscina semiolímpica, refeitório, etc.

Assim como tem ocorrido a várias outras escolas da Bahia e do nosso território, a fusão de escolas para atender à demanda do Novo Ensino Médio e da ampliação da oferta de Educação em Tempo Integral tem sido um processo natural e positivo para a educação como um todo. Mais recentemente, 2 unidades escolares de Capim Grosso passaram a ser de tempo integral, unindo-se na escola nova, cujo porte e estrutura seguem um padrão de excelência que tem se repetido em toda a Bahia. Além de Ipirá, estão previstas para serem entregues ainda este ano novas unidade de tempo integral em Baixa Grande e Mairi. E várias outras com previsão para 2024, é o caso de Várzea da Roça, Várzea do Poço, Pé de Serra e São José do Jacuípe.

É importante salientar que este processo de fechamento de escolas é apenas na esfera física, pois todos os estudantes, professores e funcionários são devidamente realocados e assistidos em suas escolas de destino, em seu próprio município, sem nenhum prejuízo ou perda de direitos a quem quer que seja. Desse modo, os estudantes do Monsenhor do Ensino Médio Regular passarão a estudar com seus mesmos professores nas salas até então disponíveis no CETEP; os estudantes do EMITEC passarão a ser geridos pelo Maria Evangelina e os da EJA pelo Maria Bastos à noite; já os funcionários serão realocados entre o CETEP, o Maria Bastos ou o Maria Evangelina de acordo com a necessidade de pessoal de cada escola, não ficando nenhum deles desassistido. Os professores seguirão no CETEP com suas turmas e sua carga horária de origem arrumadas.

Enfim, é natural que toda mudança gere algum tipo de insegurança ou desconforto, mas estejamos cientes de que esta é uma mudança para o bem da educação de Ipirá e que não será uma simples mudança de espaço físico que apagará os muitos anos de serviço prestados pelo Colégio Monsenhor a sua comunidade. O Monsenhor agora fechou um ciclo, não a sua história, como assim também o farão em breve o Maria Bastos e o Maria Evangelina. Trabalhamos pelo coletivo, compartilhamos os mesmos propósitos, por isso precisamos gerir a coisa pública com responsabilidade. Sigamos de mãos dadas, o NTE 15 é parceiro das escolas e segue orientações e determinações da Secretaria de Educação da Bahia em defesa de uma educação pública de qualidade, que prioriza a formação integral de nossos estudantes. Agradecemos a toda comunidade Monsenhor por sua contribuição e também compreensão, e aguardemos todos com expectativas a colheita dos bons frutos dessa mudança!

NÚCLEO TERRITORIAL DE EDUCAÇÃO – NTE 15
TERRITÓRIO BACIA DO JACUÍPE

recentes