Preliminarmente, gostaria de deixar clara a minha insatisfação, como Ipiraense, do nome que foi dado ao prédio da Coordenadoria de Educação do Município de Ipirá. Nada contra a senhora Maria Gomes de Sá, mãe do ex prefeito Diomário Sá. Na realidade, na minha livre inteligência, acredito que devem ser homenageados com nomes de ruas, praças, prédios públicos etc, pessoas que contribuíram efetivamente para o Município. Homenagens como esta, alusiva a mãe do ex prefeito, são apenas tentativas, na minha opinião, de eternização na memória coletiva.

Passados CINCO MESES de início da nova Gestão do Município de Ipirá, a população, os estudantes, os professores da Rede Pública Municipal e o MEC, querem saber QUEM REALMENTE É A RESPONSÁVEL PELA EDUCAÇÃO NO MUNICIPIO.

Conta-se que o prefeito deseja e, não abre mão, da professora do Estado da Bahia, Edneuza Ribeiro Oliveira, popularmente chamada como “Neuzinha”. Ocorre que a referida colega, AINDA NÃO CONSEGUIU SE APOSENTAR de suas 40 horas como professora, no vínculo público estadual que possui com a Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Aliás, se depender da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, em tempos nebulosos de Gestão Petista (Wagner e Rui Costa), um simples processo de aposentadoria, até daqueles servidores públicos que já recebem abono de permanência, pode durar cerca de dois anos.

Diante deste empecilho jurídico, fora nomeada para ser Secretária de Educação, a senhora IVONE MARQUES DIAS BASTOS, professora do quadro efetivo do Município de Ipirá, com 20 horas. Entretanto, ao que tudo indica, a mesma se presta ao papel de LARANJA, apenas assinando os atos administrativos. Na realidade, quem realmente exerce a função de secretária de educação, é a professora “Neuzinha”. Esta é quem manda e desmanda, quem participa das reuniões, atos oficiais, etc. As próprias fotos que a prefeitura posta, indicando reuniões do prefeito com os secretários, quem aparece é “Neuzinha”.

Inclusive, o Secretário de Educação do Estado da Bahia, o Senador licenciado Pinheiro, esteve recentemente em Ipirá e quem foi recepciona-lo foi NEUZINHA.

Tudo isso sobre o olhar silencioso da Câmara de Vereadores, da APLB de Ipirá (que tem como diretora presidente LOIANE DOS REIS BORGES e vice JEANE RIBEIRO ALENCAR), do Conselho Municipal de Educação, que tem como Presidente o Professor Almeida e do Conselho do FUNDEB, presidido por Jeane Ribeiro Alencar. O que está acontecendo? Além da concentração de poder nas mãos de alguns poucos, EXISTE ALGUM PACTO DE SILÊNCIO na APLB? Entre os VEREADORES? Nos Conselhos Municipais de Educação e do FUNDEB?

Ora, se há um empecilho legal para assumir um cargo público por parte de uma cidadã, no caso a professora NEUZINHA, MANOBRAS COMO A QUE ESTÁ ACONTECENDO, NÃO LEGALIZAM A SITUAÇÃO DE ILEGALIDADE (sendo redundante, propositadamente). PIOR, é explicito que trata-se de um caso de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, descrita na Lei nº8.429/92.

A IMPROBIDADE está tão escancarada, que a professora Neuzinha está lotada como professora do Estado, no Colégio Estadual Monsenhor Alcides Cardoso E, SEGUNDO INFORMAÇÕES, TEM FALTADO INÚMERAS AULAS. Registro, por oportuno, que a referida candidata a Secretária de Educação, não possui vinculo atual com o Município de Ipirá, à medida que já está aposentada pelo vinculo de professora municipal.

Segundo, o site do Tribunal de Contas de Contas dos Municípios da Bahia – TCM, no mês de janeiro de 2017, a AGENTE POLÍTICO – SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO, NEUZA RIBEIRO OLIVEIRA, RECEBERA do cofre municipal a importância de R$5.866,67 (Cinco mil, oitocentos e sessenta e seis reais e sessenta e sete centavos).

E por falar em improbidade administrativa, há na gestão atual da Secretaria de Educação de Ipirá, um número exorbitante de CONTRATADOS. Estes contratados, para o TCM, estão como servidores efetivos e alguns recebem até MAIORES VANTAGENS de quem é, realmente, professor efetivo e já tem muito tempo de trabalho.

Da lista que tenho em minhas mãos, impressa a partir do site do TCM, apenas está como contratado, o professor VINICIUS DE OLIVEIRA SOUZA, os demais contratados pela atual gestão, ESTÃO COMO PROFESSORES EFETIVOS.
Estão ENGANANDO O TCM ???

Se a educação está sendo tratada desta forma, MORRE A ESPERANÇA, sucumbe todos os desejos e planos de uma Ipirá melhor. Embora este debate esteja sendo tratado aqui, neste rascunho, já reflete nas salas de aulas das escolas municipais. As próprias crianças estão perdidas, sem farol, sem informação, se afogando neste mar de lama. E DEIXAM EM BRANCO NA PESQUISA solicitada como atividade escolar, O NOME DA SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO…

Como me lembro muito bem da minha terra natal, estou sentindo a falta de uma de suas vozes mais estridentes; me refiro ao sempre querido e combativo, Professor Arismário. Embora eu não comungue do partidarismo político deste meu querido mestre do Colégio Cenecista, já que o PC do B, saiu queimado da “Era” petista e é citado, diuturnamente, pela Operação Lava Jato, talvez o silêncio de Arismário é o que mais me incomoda.

Por Dr. Ricardo Sampaio
Advogado

 

COMPARTILHE
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •