Entidades da sociedade civil apresentaram relatório de obras públicas inacabadas e abandonadas pelo Programa de Aceleração do Crescimento PAC2. Indícios de desvios e descasos administrativos desperdiçaram mais de R$ 100 bilhões em verbas públicas destinadas à construção e reforma de escolas, hospitais e estradas de municípios.

De acordo com os levantamentos, recursos municipais, estaduais e até do Governo Federal, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), financiaram equipamentos que atualmente encontram-se abandonados.
Esta realidade da má cessação dos recursos públicos está visível em Ipirá, onde a população sofre por falta de atendimento de qualidade na rede municipal de Saúde, com um hospital que não atende de forma satisfatória a população por causa de uma penosa reforma que já se arrasta por mais de oito anos. Ambulâncias da SAMU estão paradas no pátio da Prefeitura e expostas às intempéries do tempo a quase quatro anos sem prestar um único atendimento.

O tão alardeado Sistema de Esgotamento Sanitário, obra da Fundação Nacional de Saúde FUNASA, orçada em mais de 40 milhões de reais, destruiu a estrutura física da cidade e paralisou por tempo indeterminado.

O maior descaso com a Saúde do município está sendo a Unidade de Pronto Atendimento UPA, localizada na avenida de acesso ao bairro 20 de Abril, que se encontra totalmente abandonada e deteriorando sem ainda ter sido entregue à população de Ipirá.

Na campanha eleitoral de 2012, o então Governador da Bahia Jaques Wagner, prometeu em praça pública, UTI para o Hospital de Ipirá e Asfaltamento para o centro da cidade. A UTI nunca chegou e o equipamento de asfaltamento está apodrecendo no pátio da prefeitura. O senador Otto Alencar prometeu um moderno sistema de iluminação  pública ligando a entrada do Centro de Abastecimento ao entroncamento da rodovia Ipirá a Pintadas. Até então, só escuridão às margens da BA 052. Será que todas estas obras anunciadas a anos, serão entregues até o dia 2 de outubro?

Estes são alguns dos golpes que a população de Ipirá vem sofrendo dos governos federal, estadual e municipal.

Caboronga Notícias