Emerson Delson, 23 anos, é pai do pequeno Railan, 3 anos, portador da Síndrome de Pompe, doença que afeta todos os músculos do corpo, incluindo os respiratórios e prejudica o desenvolvimento da criança. Atualmente, o garoto recebe tratamento na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Martagão Gesteira, em Salvador. Railan não anda, não fala e respira através de ventilação mecânica.

A luta de Emerson pra manter o filho vivo começou quando ele tinha apenas um mês de vida. Desde então, Railan vive de hospital em hospital, internado para continuar vivo. Alguns meses depois do diagnóstico, a mãe o abandonou. Na época, Emerson trabalhava para custear o tratamento do filho, e ficou sabendo, através de uma colega, que a ex-mulher tinha ido embora. Nesse momento da vida, o rapaz deixou o emprego para se dedicar exclusivamente à vida do filho.

Há três anos, a casa de Emerson passou a ser o hospital, onde dorme em uma poltrona. Sozinho para cuidar do menino, ele teve que aprender a manusear os aparelhos e a fazer procedimentos básicos de enfermagem como aspirar secreção, colocar sonda e trocar curativos.

“Já passei por muitos momentos ruins. Meu filho já chegou a dar seis paradas [cardíacas] em um dia só. Eu fiquei ali firme, orando a Deus. Quando ele voltou, eu falei ‘filho, seu pai está aqui’ e abracei ele”, lembra com emoção.

Do G1 BA, com informações da TV Bahia