Pais e filhos dormem no relento, em filas, para fazer matrícula em escolas municipais de Ipirá (BA)

81

Na foto, acima, fila em frente ao Centro Cultural Elofilo Marques, às 18h:40m do dia 16 (terça-feira) de janeiro de 2018, depois do encerramento do primeiro dia de expediente para realização das Matriculas Municipais, em Ipirá (BA).

O próximo expediente será as 8hs do dia 17/01. O que resulta em uma espera de adultos e crianças, em um período mínimo de 13 horas, a noite, no relento, sem nenhuma proteção. Este quadro vem se repetindo dia-a-dia, nas matrículas, na saúde, etc.

Perguntas:

1 – Ouvimos alguns candidatos, em Ipirá, prometerem que se ganhassem as eleições acabariam com as filas?

2 – Ouvimos candidatos dizerem que filas eram falta de planejamento?

3 – Em termos de Direito, Leis, esta situação que expõe a vulnerabilidade de menores não fere o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)?

4 – Tal situação vexatória, desumana, que expõe a vulnerabilidade de menores, não seria responsabilidade da sociedade, da família, do Estado, enfim, do município?

5 – Nos acostumaram aos erros, as injustiças, ao cinismo, em fechar os olhos e fazer de conta que está tudo certo?

Por Orlando Santiago Mascarenhas
www.ipiranegocios.com.br