A chegada do coronel Paulo Coutinho ao comando-geral da Polícia Militar baiana é vista por muitos oficiais e até praças como uma “luz no fim do túnel”. A liderança exercida pelo coronel Anselmo Brandão, bastante elogiada pela Tropa, tem um viés mais político. Já Coutinho, tem o perfil mais técnico. “Caveira”, o novo “01” é do tipo que não tolera criminoso. Afinal de contas, policial e bandido são como água e óleo, não se misturam. Ou pelo menos não deveriam.

O Informe Baiano conversou com alguns integrantes da corporação sobre a expectativa em torno da gestão de Coutinho, que é natural de Pernambuco e ingressou na PM em 1986. O oficial passou por diversas unidades, a exemplo do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

“Ele tem a sensibilidade com a comunidade e no Comando Central buscava o diálogo constantemente. Agora, outra questão: de soldado a coronel, quem trabalha está tranquilo. A resistência de parte da Tropa, como frisada pelo Informe Baiano em um editorial, é da banda podre e daqueles que não querem trabalhar. E pelo perfil dele, não vai tolerar embusteiro”, pontuou um oficial ao se referir aos enganadores. Também acrescentou que o combate ao tráfico, que já é muito forte, será intensificado: “bandido não vai se criar. Ele vai pra cima”.

Um outro militar chamou atenção para um “ponto crucial” que afeta também a segurança pública e que Coutinho tem o dever de contribuir no efetivo combate.

“O coronel é servidor público raiz e não pensa em segurança privada. Homem altamente preparado. Policiais envolvidos com segurança privada vão querer ‘atrasar’ ele. Porque? Porque quanto mais insegurança, mais lucro tem a segurança privada. Em alguns casos, o policial utiliza a máquina do estado em favor da sua empresa de segurança e isso ele não aceita. Ele não gosta de ‘vagabundo’, seja militar ou civil. O governador acertou em cheio”, opinou.

Nos bastidores, o comentário é que o favorito para ser subcomandante da PM é o coronel Machado. Humberto Sturaro e Lázaro devem seguir para reserva. Coróneis mais jovens, a exemplo de Magnavita e Xavier Filho, ocuparão posições de maior destaque. Já Saulo e Sérgio Freire, por exemplo, devem liderar postos de menor relevância.

A nomeação de Coutinho foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (12/01). A transmissão de cargo será realizada na próxima quarta-feira (13/01), na Vila Policial Militar do Bonfim, em Salvador.

Por Ramon Margiolle/ Informe Baiano