O governo Pé de Serra de Mãos Dadas através da secretaria de saúde é a primeira cidade da Bahia a oferecer o tratamento de Ozonioterapia para o tratamento de dor crônica.
Conversamos com Drº Georgenes Lima para entender melhor como funciona esse tratamento.

O que é Ozonioterapia?

Uma das maiores descobertas da história, esta é uma técnica terapêutica que utiliza a aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio; ou seja, o ozônio medicinal. Usada no tratamento de um amplo número de patologias, a Ozonioterapia pode ser aplicada de modo isolado e complementar a outros tratamentos.

Há séculos utilizado por países desenvolvidos e com benefícios comprovados por inúmeros estudos científicos, o ozônio tem excelentes propriedades medicinais, como:
-Anti-inflamatórias
– Antissépticas
– Modulação
– Melhora da circulação periférica e da oxigenação.

É importante registrar que a Ozonioterapia está inserida na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) do SUS, pela Portaria n° 702/2018 do Ministério da Saúde. Assim, todo profissional que pode atuar nestas práticas, naturalmente pode utilizar a Ozonioterapia.
Vale ressaltar a importância da boa formação profissional que utiliza a técnica.

Em nosso meio ainda é pouco conhecida, então onde se realiza e teve inicio este tratamento?

Durante a 1ª Guerra Mundial, médicos alemães e ingleses utilizaram o ozônio para tratamento de feridas em soldados, conforme já publicado na revista THE LANCET, nos anos 1916 e 1917.

Desde o século XIX, a Ozonioterapia médica era usada na Alemanha, inicialmente para combater a ação de bactérias e germes na pele humana.

Hoje é um método reconhecido pelos Sistemas de Saúde da Alemanha, Suíça, Áustria, Itália, Ucrânia, Rússia, Grécia, Israel, Egito e Cuba. E também em 13 estados dos EUA: Arkansas, Califórnia, Colorado, Geórgia, Minnesota, Nevada, New México, New York, North Carolina, Oklahoma, Ohio, Texas e Washington. Na Alemanha são realizados cerca de 7 milhões de tratamento por ano e toda a Europa conta com mais de 15 mil profissionais que fazem este procedimento. No Brasil, o médico Heinz Konrad iniciou a prática em sua clínica em São Paulo, e com ela trabalha até hoje. Em meados dos anos 90, Dr. Edison de Cezar Philippi (in memorian) introduziu a prática em Santa Catarina e difundiu a Ozonioterapia em inúmeros cursos e congressos.

A Ozonioterapia é indicada para que?

· Hérnias de disco, protrusão discal e dores lombares.

· Vários tipos de câncer, ajudando a combater tumores e reduzindo os efeitos colaterais da Radioterapia e da Quimioterapia.

· Dores articulares decorrentes de inflamações crônicas

· Condições e doenças de idosos.

· Queimaduras de diversos tipos.

· Feridas de origem vascular, arterial ou venosas, úlceras diabéticas e por insuficiência arterial.

· Doenças virais, como hepatite e herpes.

· Fibromialgia

· Renite, sinusite, resfriados, gripes.

· Diversos problemas circulatórios entre outras patologias.

É importante saber que somente profissionais capacitados podem indicar a dosagem e a via correta de aplicação da Ozonioterapia.

Além disso, o ozônio é um gás altamente instável e nocivo se inalado, necessitando ser gerado de forma precisa com equipamentos específicos, no local do uso.

Como é aplicado?

O ozônio pode ser administrado por varias vias: intramuscular, subcutâneo, auricular, sublingual, retal, vaginal, auto-hemoterapia O3; via tópica com óleo ozonizado e água ozonizada.

Deixo o site da Associação Brasileira de Ozonioterapia para mais informações: https://www.aboz.org.br/

Drº Georgenes Lima ü Graduado pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB) ü Especialista em Fisioterapia Gerontológica e Geriátrica ü Curso Internacional Avançado de Ozonioterapia ü Curso Básico de Ozonioterapia ü Formação em Quiropraxia Instrumental (TIQ) ü Afiliado Associação Brasileira de Ozonioterapia (ABOZ) ü Formação em Liberação Miofascial e diversos cursos de terapia manual.

Fonte e dotos: Vr14