domingo, junho 16, 2024

Polícia Civil cumpre diversos mandados de prisão em Feira de Santana

A Polícia Civil cumpriu diversos mandados de busca e apreensão, além de prisão nos últimos dias na cidade de Feira de Santana. A operação visa combater o tráfico de drogas e o alto índice de homicídios.

Em entrevista ao Acorda Cidade, o delegado Yves Correia, coordenador da 1ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), destacou que entre os alvos, estão também, adolescentes que são utilizados para praticarem o ato infracional, análogo ao crime.

Coordenador da 1ª Coorpin
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Nós fizemos o cumprimento de diversos mandados de busca e apreensão, mandados de prisão, não apenas de maiores, como também de menores, pois este é um ciclo operacional que a Polícia Civil tem empenhado aqui na cidade de Feira de Santana e região para conter essa onda de homicídios. A gente já percebe que eles estão sentindo este baque, não só pela questão da grande apreensão de drogas, mas hoje por exemplo, com o emprego do canil da Core, do canil da Choque, do canil da Rondesp, ou seja, todas as unidades emanadas e integradas na busca de trazer uma paz para a nossa cidade. 90% desses mandados por homicídio e os outros 10% por algum envolvimento com o tráfico de drogas”, informou.

Segundo o delegado, a Polícia Civil percebe cada vez mais, a participação de adolescentes nos crimes.

“A gente sabe que o menor não pratica crime, ele pratica o ato infracional análogo ao crime, mas além de praticar estes atos infracionais como homicídios, praticam também o tráfico. Eles são utilizados nesta guerra, então o cumprimento destes mandados foram específicos pela Vara do Júri, que trata dos homicídios aqui na cidade”, disse o coordenador ao Acorda Cidade.

Ainda de acordo com Yves Correia, a apreensão de armas pode facilitar na identificação se o equipamento tem envolvimento em homicídios.

“É importante retirarmos todas essas armas de circulação da mão desses indivíduos, desses bandidos, pois são armas com potencial para outros homicídios, feminicídios e etc. A gente tem que trabalhar nestas apreensões, pois após a apreensão, estas mesmas armas são enviadas para a perícia e a equipe tem o trabalho de identificar se determinada munição saiu daquela arma, e podendo efetuar mais prisões”, concluiu.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade

recentes