Centenas de pessoas a grande maioria moradores do Distrito de Salgadália realizaram uma manifestação no centro da cidade de Conceição do Coité para pedi justiça pela morte dos jovens Luiz Henrique Matos, 16 anos, e Victor Oliveira Silva, 17, na noite de quarta-feira, 07, na rodovia BA 411 trecho da região do Povoado de Serrote.

Segundo a PM eles teriam reagido a intervenção policial atiraram contra a viatura e houve revide por parte da guarnição que atingiu os dois e ainda com sinais vitais foram levados para o Hospital Português – Unidade de Coité onde chegaram sem vida.

A versão da PM está sendo bastante contestada pelos moradores de Salgadália que de forma unânime afirmam que Vitor e Henrique não tinham nenhum tipo de envolvimento ilícito e logo pela manhã começou a mobilização em redes sociais convidando familiares, amigos e colegas de escola para se vestirem de branco e de forma pacífica passassem em frente a sede da 4ª Companhia da Policia Militar e em seguida portanto faixas e cartazes seguiram a procissão de Nossa Senhora da Conceição.

Saiba mais sobre a história do assalto que culminou no chamado da PM segundo moradores

Às 20h, dois homens em moto escura, assaltaram uma jovem de aproximadamente 16 anos, próximo a sua residência na Rua da Vitória e levaram um celular Samsung. A dona de casa M. de L dos S. acompanhava a menor na hora que houve o assalto e relatou que eles estavam em uma moto Honda Fan, usavam capacetes e apresentaram uma arma e o da garupa ameaçou atirar caso ela e a menor corresse. Ele disse também que em certeza absoluta que os assaltantes não eram Vitinho e Henrique, pois conhecem os dois de muito tempo.

Ás 20h20 começou a circular em um grupo de WhatsApp intitulado “Salgadália Notícias”, um apelo para que todos da comunidade ficassem atentos e se possível não saíssem de casa.

Ás 20h45, a PM foi acionada e se deslocou para o Distrito e aproximadamente 20 minutos depois deparou com a moto que seguia de Salgadália para a sede de Coité quando a PM afirmou que foi surpreendida a tiros, revidou e acabou ferindo gravemente os jovens.

Ás 21h a guarnição chegou ao Hospital Português com os dois feridos, foi informada que ambos estavam sem sinais vitais. Até as 03h desta quinta-feira (08), enquanto permanecia uma equipe do CN, não havia chegado àquela unidade nenhuma autoridade de segurança responsável pelo município de Conceição do Coite. O comandante da 4ª Cia tenente Laerth Lopes se encontra de férias.

Henrique estava na casa dos avôs paterno conhecidos por Nigote e Mequinha, com quem morava, na companhia de um das suas tias, Rúbia, na Travessa Felipe Almeida. A moto, de propriedade de Vitinho, estava estacionada em frente da residência onde morava Henrique. Segundo a tia Rubia, os dois havia combinado de se encontrarem em frente ao Colégio José Ferreira, assim que Vitinho terminasse a prova.

Henrique trabalhava em uma padaria e o seu patrão conhecido como Paulinho, estava indignado com o que ocorreu, pois, segundo ele havia convidado para que fosse com ele e o mesmo lhe disse que tinha combinado com o amigo. Quando Vitinho terminou a prova, na companhia de Henrique, foi a sua residência na Travessa dos Pombos, onde reside com seus pais, tomou banho e seguiram para Coité. Vitinho é filho da professora Joelma Cardoso, diretora da escola municipal Mundo Infantil.

A comunidade ficou sabendo do fato pelas redes sociais, mas de forma desencontrada. Inicialmente que eles teriam sido mortos no bairro das Casas Populares, depois que tinham sido vitimas de acidente de moto e por último de que foram mortos numa ação policial.

A policia, em nota, disse que encontrou em poder dos jovens dois revólver calibre 32, com numeração 645290 e numeração 5234, marca Taurus, 09 cartuchos deflagrados, 02 picotados, 01 intacto, 03 aparelhos celulares de marcas Motorola, Samsung e Alcatel, além de 01 pino de substância aparentando ser cocaína e 02 papelotes de substância, supostamente, maconha.

Delegado de Serrinha iniciou as investigações

O delegado titular da cidade de Serrinha Hidelbrando Alves que está tirando 15 dias de férias do delegado titular de Coité Getúlio Queiroz, e com ausência por motivo de viagem do delegado regional Mozart Cavalcante, ele responde também pela região neste momento, começou a ouvir pessoas envolvidas no caso, a exemplo de um policial militar que estava na central de operações e um homem que teria feito o chamado para que a guarnição se deslocasse até Salgadália.

Segundo o delegado a versão que tem até o momento é a que foi divulgada pela PM e que já foi apresentada no Calila e em outros sites e blogs da região, “ou seja, acabava de acontecer um assalto na sede do distrito e se a viatura se deslocasse naquele momento poderia encontrar os suspeitos próximo ao Serrote ou na região de Goiabeira.No meio do caminho eles abordaram algumas pessoas, mas sem nenhuma indicação de crime, abordaram outros dois ou três no meio do caminho onde se depararam com essa outra moto que vinha em velocidade, a viatura fechou para mandar parar, infelizmente eles não pararam e segundo a guarnição ainda efetuaram disparos, sendo três disparos de um e parece que quatro do outro, os policiais revidaram”, falou o delegado.

O delegado disse que pretende ouvir pessoas próximas do jovem, vítima do assalto, outros policiais que estavam em serviço. “Já solicitei do IML também o exame de pólvora combusta e recentidade de disparo, para saber se a pessoa fez disparo com arma de fogo, no exame é possível encontrar vestígio na mão, em outras partes do corpo e na roupa e a perícia vai dizer se eles fizeram disparos ou não”, concluiu doutor Hidelbrando.

Comando do 16º Batalhão diz que já abriu inquérito para apurar o caso

O comandante do 16º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Gilson Paixão, informou em nota à imprensa, que já instaurou um IPM (Inquérito Policial Militar) para apurar as circunstâncias das mortes de Victor e Henrique.

Redação CN