O que são Praças?

As praças embelezam e humanizam a cidade, são refúgios contra stress e locais de socialização. São áreas que favorecem o contato com a natureza. Nestes espaços públicos as crianças e adultos estreitam laços sociais, desenvolvendo inter-relações que proporcionam saúde física e psicológica para seus transeuntes. Além de recreativas, algumas praças tornam-se centros comerciais, importantes no desenvolvimento financeiro e econômico de algumas cidades.

Atualmente duas praças principais de Ipirá (BA) encontram-se em processo de reformas. São elas: PRAÇA SÃO JOSÉ e PRAÇA JOSÉ LEÃO DOS SANTOS (Praça de Eventos).

Praça José Leão dos Santos

Praça José Leão dos Santos, a praça que era do povo de Ipirá

Recentemente, no dia 07/11/2018, o prefeito de Ipirá, Marcelo Brandão, homologou o processo licitatório de terceirização do Mercado de Artes e da Praça José Leão dos Santos. Veja trechos, abaixo:

Processo Administrativo: 252/2018, Contrato: 228/2018, Contratante: Prefeitura Municipal de Ipirá – BA. Contratada: SANEANDO PROJETOS DE ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA.

OBJETO: Concessão do uso de Mercado das Artes e da Praça José Leão dos Santos, concedida de execução de obras públicas, de reforma, requalificação e revitalização, outorgando ao concessionário o direito de exploração de seus espaços. Vigência: 20 (vinte) anos. Valor: R$ 3.074.207,73 (Três milhões setenta e quatro mil duzentos e sete reais e setenta e três centavos).

Lembrando, que trechos do documento, rezam que a concessionaria (SANEANDO PROJETOS DE ENGENHARIA E CONSULTORIA), após os 20 anos com direito a exploração da praça, a mesma, caso seja de seu interesse, possuirá todos os direitos em renovar o contrato por mais 20 anos (ao todo, a empresa, se assim desejar, possuirá o direito de exploração por 40 anos).

Placa, na praça, informando que a obra será iniciada hoje 07/01/2019.

Recentemente, no dia 30/12, foi colocada uma placa, na praça, informando que a obra será iniciada hoje 07/01/2019. A obra será executada pela Saneando Engenharia, sem prazo determinado para sua conclusão.

A Praça terceirizada, também conhecida como Praça de Eventos, onde há poucos anos foi totalmente reformada no governo do ex-prefeito Diomário Sá. Segundo informações, uma das primeiras providencias será a demolição dos quiosques existentes na citada praça.

Cidadãos ipiraenses, comerciantes estabelecidos nos quiosques, demais comerciantes do local estão apreensivos com os destinos da principal praça comercial do município, que de agora em diante será administrada por empresa estranha, onde será apenas um instrumento de exploração comercial. Mais um presente (marretada) do prefeito Marcelo Brandão, com aprovação dos vereadores da situação.

Weima Fraga, Vereador

ENTREVISTA:
WEIMA FRAGA FALA SOBRE A VENDA DA PRAÇA JOSÉ LEÃO DOS SANTOS

Para falar sobre a situação da Praça de Eventos e os destinos que serão dados a histórica e importante praça comercial do município, conversamos com o vereador Weima Fraga.

Weima, encontra-se no seu 4º mandato de vereador. Combativo, sempre a disposição de quem o procura, foi totalmente contra a venda da praça (segundo ele). Weima sempre foi vereador do Grupo ‘Macacos’, e sempre votando em consonância com o seu Grupo político.

1 – Ipirá Negócios – Vereador Weima, você que foi totalmente contra a terceirização da Praça José Leão e do Mercado de Artes, inclusive quando tratava-se sobre o assunto terceirização o senhor sempre se referia, como venda, dizendo que os vereadores da situação a mando do prefeito Marcelo Brandão estariam autorizando a venda dos principais patrimônios de Ipirá. Como o vereador vê está, ‘venda’ da praça José Leão, também conhecida como Praça de Eventos, para o município?

Weima – Uma falta de vergonha com o povo de Ipirá. O povo votou para este prefeito ficar 4 anos, mas ele apesar de já se mostrar como péssimo gestor, agora apronta uma desta com o povo ipiraense, ele fica 4 anos, mas vende uma Praça e um Mercado de Artes pôr 40 anos. A meu ver isto só pode ser chamado de abuso de poder, apesar de aprovado por 2/3 dos vereadores da Casa, onde eles (vereadores), são maioria e aprovam tudo que este prefeito quer.

2 – Ipirá Negócios – Vereador, então o senhor só vê pontos negativos nesta transação comercial?

Weima – Certamente, pela importância destes projetos, a exemplo deste das vendas da Praça, do Mercado de Artes, do Centro de Abastecimento e a aprovação do Código Tributário. Todos estes exemplos citados precisariam ser discutido com o povo, inclusive com Audiências Públicas, como recomenda os princípios de uma gestão transparente, onde os gestores se preocupam com o povo. Este negócio de terceirizar praças é falta de vergonha, falta de princípios e respeito ao povo. Eu não tenho informações deste tipo de negócio em nenhum lugar do Brasil, isto é forma de explorar as classes de baixa renda, pois certamente serão eles que mais irão sofre com este tipo de medidas, isto a meu ver é coisa de prefeito incompetente e insensível.

3 – Ipirá Negócios – Porque você acha que as classes trabalhadoras de menor renda, serão as que mais sofrerão com estas medidas?

WeimaO Prefeito ficará só 4 anos, mas ele está tomando medidas que ficarão para gerações. Ações, a exemplo de vendas dos bens públicos (terceirizações) e do Código Tributário, deveria, todos os projetos, estarem no site da prefeitura, para todo cidadão que tiver interesse nas questões do Município poderem tomar conhecimento, poderem consultar. São medidas para quem preza transparência, inclusive, práticas que não demandam despesas. Mas o que vemos hoje são projetos mal explicados, onde os ipiraense ficam cheios de dúvidas, parecendo ser coisa intencional.

4 – Ipirá Negócios – Porque você acha que os projetos aprovados estão deixando duvidas, parecendo, segundo o senhor, intencionais, onde falta clareza

Weima – Por exemplo o povo de Ipirá não foi informado que para a prefeitura realizar eventos, festas na praça de Eventos, onde já aconteceu as maiores festas de Ipirá, a mesma terá que pagar a empresa que comprou os direitos sobre ela. Que a empresa compradora poderá cobrar para um pobre vender um simples cacho de bananas, e que poderá passar a cobrar estacionamentos, se a empresa assim achar conveniente.

5 – Ipirá Negócios – Onde o senhor vê os pontos principais, onde poderá haver falta de transparência?

Weima – O Prefeito está achando que todo mundo em Ipirá é trouxa. Por exemplo, como ficará comprovado o total de aplicações das verbas por parte da empresa detentora dos direitos da praça? Seria preciso uma comissão formada por vereadores da situação e da oposição, e até mesmo de cidadãos da nossa sociedade que quisessem fiscalizar esta questão da aplicação das verbas pelas empresas detentoras dos direitos de exploração do que é do povo. Os comerciantes, os usúarios dos boxes, as pessoas mais interessadas, no momento, não tem conhecimento da planta, do que realmente será feito nesta praça que é um patrimonio de Ipirá, um patrimonio gerado por nossos antepassados. Até agora não temos conhecimento de formação de qualquer comissão, coisa imprescindivel neste tipo de negócio, onde a comissão deveria estar acompanhando todos os passos deste empreendimento de vital importancia na vida da nossa comunidade.

6 – Ipirá Negócios – Suas considerações finais

Weima – Mais uma vez friso que o prefeito e alguns vereadores da situação estão pensando que o povo é bobo. O povo não é bobo, mas precisa ficar de olho aberto, o prefeito, que já responde a processos judiciais, atualmente divulga no mínimo em três sites ditos de notícias no município, sites estes que só divulgam matérias tendenciosas, além de possuir alguns aliados para estarem divulgando estas notícias tendenciosas nas redes de comunicações, a exemplo do Facebook e Whatsapp. Éramos donos de uma Praça é um Mercado de Artes, que de agora em diante será administrada por empresa estranha, onde a Praça e o Mercado de Artes será apenas um instrumento de exploração comercial. Não estou fazendo julgamentos, mas a título de informação é bom as pessoas fazerem uma pesquisa na internet (PESQUISE AQUI) sobre esta empresa vencedora da licitação da compra da praça José Leão e do Mercado de Artes, dois empreendimentos importantes para o povo de Ipirá, que não mais lhes pertence, por 40 anos. 

Por Orlando Santiago Mascarenhas
www.ipiranegocios.com.br