O engenheiro Silvio Vuoto, que fez uma vistoria em janeiro de 2017 no prédio que desabou no centro de São Paulo no dia 1º de maio, disse que o edifício Wilton Paes de Almeida só não foi interditado por conta da ocupação. A afirmação foi feita durante depoimento ao Ministério Público de São Paulo nesta segunda-feira (7), ao qual o Jornal Nacional teve acesso.

De acordo com a reportagem, o engenheiro disse que os moradores não permitiram a vistoria nos cômodos privados e, por isso, a “vistoria foi feita apenas nas áreas comuns”.

A análise do engenheiro foi exigida justamente para avaliar as condições de segurança em caso de incêndio. Como se tratava de uma moradia irregular, o engenheiro disse que não havia um responsável para receber o auto de interdição. Logo, não fez a interdição.

Noticias ao Minuto