A prefeitura de Nazaré, no Recôncavo Baiano, investiga o derramamento de uma grande quantidade de azeite de dendê no Rio Jaguaripe, que corta a cidade. O caso foi descoberto na última quarta-feira (3) e ainda não há informações sobre os responsáveis.

O secretário de Planejamento e Meio Ambiente do município, Cidney Sacramento, disse ao G1 que a prefeitura abriu uma investigação para apurar as circunstâncias do ocorrido.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou que também teve conhecimento do caso, que visitou o local onde houve o derramamento e que pediu à Secretaria de Meio Ambiente do município e ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) a adoção de medidas de contenção e também que identifiquem o causador do dano ambiental.

“Logo que fomos informados, fomos ao local verificar a dimensão da poluição, do desastre. Entramos em contato com o Ministério Público e, junto com o órgão, estamos investigando pra poder responsabilizar quem cometeu esse crime”, afirmou o secretário, em contato com o G1 nesta sexta-feira (5).

Conforme Sacramento, a suspeita é de que o derramamento tenha sido feito por alguma fábrica clandestina que opera com azeite na cidade ou durante o transporte do material.
Segundo ele, não foram encontrados, até o momento, vestígios de que o problema tenha sido causado pela única empresa com licença para operar com o produto no município. O G1 não conseguiu contato com nenhum representante da empresa nesta sexta-feira (5).

Por G1 BA (Foto: Reprodução/Facebook)