Já está decidido, pode comprar o paletó e se espreguiçar na cadeira. O vencedor das eleições em Ipirá já está praticamente definido, mesmo faltando quinze dias para o pleito. É a intenção de voto que estabelece quem carrega o andor e que a Inês está morta. O fato está consumado. As eleições do próximo mês servirão, apenas, para selar a legitimação e a confirmação do que já foi estabelecido com antecedência. Só um milagre dará um revertério nessa situação. O carimbo está batido. Já foi.

Eu sei que você está preocupado, querendo saber em que mãos vai ficar essa Ipirá; eu nem tanto, porque já sei em que mãos ficará e te digo uma coisa, nas mãos de Deus é que não é. E acredite nisso e em mais uma coisinha, o teu candidato já viajou, lá isso é verdade, e não fique com raiva de mim não, porque eu não tenho nada com isso.

Não fique triste e não se zangue com o que eu vou lhe falar, você pode esperar para daqui a quatro anos, infelizmente para este ano não dá mais, já foi e foi mesmo, até mesmo antes do dia dois de outubro e quem afirma isso é a determinação do eleitor. Mas, também, a esperança é a última que morre, serve de alento, pois já foi. Dia dois de outubro é para cumprir tabela.

Não, não faça isso! Não tome chumbinho que isso não vai resolver o seu problema. Nesta altura do campeonato, o seu candidato já tomou um sapeca ioiô daqueles no cangote, fato que se concretizará no dia dois. O que acontece? Se você tomar chumbinho agora, você não vai ver a derrota daqui a quinze dias, então, fica na tua, guarde o chumbinho, vá digerindo, naturalmente, esta derrota e lá pelo dia dois de outubro, você empurra o chumbinho no rabo do Cão e deixa o bicho se estrupizinar no inferno; aí, você fica por aqui, vivinho da silva para sofrer a dor da perda, uma perda imperdoável. Isso dói, dói demais! E haja arrocha.

Não chore mais! Pode ser o que você está pensando, ou mesmo, o que você nem imagina, nem pensou em imaginar. Aí, você sente uma tristeza misturada com raiva e vem aquele pensamento que tira o sono: “essas desgraças no poder!” Aí, eu não sei como te consolar, mas eu digo assim: “fica triste não! É Fufu e Fubá, é Lé e Cré, tanto faz como fez”, mas você continua inconsolável. Não carregues esse trauma o resto da vida, mas que o teu candidato já se lascou, isso aí é a mais pura verdade.

Tu não dormes porque estás preocupado com o destino de Ipirá. É mesmo? Me engana que eu gosto! Ipirá puxa, estica, encolhe e não sai do lugar com o bicho de pena e o bicho de pêlo. O teu candidato bateu as botas, no bom sentido, antes mesmo do voto entrar na urna. Aí eu fico com pena de tu, porque pensas tanto em Ipirá e depois desse sarrafo, você só vai pensar novamente em Ipirá em 2020 e, justamente, para ir à forra. Vocês brocam Ipirá.

Tu acabastes o mundo tocando foguete e, agora, eu tenho uma péssima notícia para te: tu podes tocar toda a produção de dez anos da fábrica Caramuru que não levantarás o teu candidato. O bicho já bateu a caçuleta, tá mortinho, mortinho! Nadou, nadou e morreu na barragem do Trapiá.

Não te enforques em corda curta, nem engula óleo queimado pensando que é garapa. Isso não vai dá certo. Tu dizias que estava tão bom; tu estavas tão confiante, de repente, uma bomba: o teu candidato está derrotado. Só pensastes na corda e no óleo. Que é isso gente fina! Diga que já sabia, mas não queria entregar os pontos. É o que todos irão dizer. É tudo gente porreta.

A notícia da derrota do teu candidato é dura e penetrante, vai no fundo da tua alma, mas vou te dá um conselho: não lastime, não xingue, não blasfeme e nem pragueje, senão sua vida poderá ficar tão torta como a do teu candidato. Pensa que desgraceira do Capeta você vai ter pela frente. Xô! Chega prá lá, Capeta do Cão!

Tu estás agoniado para saber quem é o perdedor, isso é simples, jogue o número do teu candidato, 25 ou 44, no jogo do bicho, se não pintar na cabeça da pule, ele é o bicho; depois você joga no lixo, para reciclar; depois, jogue naquele lugar e dê descarga para vê se ele foi para o esgoto. Se ele não ficar boiando naquela merda, você pode arrumar tua mala e ir embora de Ipirá.

Você está ansioso para saber quem vai vencer, nem dorme mais, fica todo avexado; eu nem tanto, já sei quem ganha e quem perde, faça como eu fiz, contratei o IBOPE e obtive o resultado. Não vou divulgá-lo porque ninguém me ajudou a pagar os custos, aí eu seria um besta se o fizesse e, também, não posso divulgá-lo porque não registrei, mas o IBOPE foi bem claro, preciso e transparente ao detectar que: “Esse município de Ipirá está lascado.”

Eu sei que tu estás cheio de ilusão, tua paixão é tão esfuziante que não te deixas vê que o teu candidato já era e, ta rebocado piripicado que eu não estou inventando nada, mas não jogue a toalha, não há motivo, porque ainda existe uma saída: dizem, em Ipirá, que eleição se ganha na véspera e inventaram a coisa mais imbecil que se pode ter notícia, a tal da boca de urna para comprar voto e tomar títulos dos eleitores e ganhar as eleições; assim sendo, o IBOPE deixou bem claro: “Quem gastar três milhões na boca de urna ganhará as eleições de Ipirá.” Pronto, é isso aí, como os dois grupos são ricos e poderosos a coisa vai pegar, porque se deixar por conta dos dois candidatos lisos vai dá chabu. Êta, que Ipirá ta lascada!

Postado por Agildo Barreto