O presidente do PT na Bahia, Éden Valadares, avaliou ao BNews como “pitoresca” a decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) de permitir a saída de Leo Prates (Sem Partido) do DEM. O líder petista ironizou o caso e levantou a tese de que o prefeito ACM Neto (DEM) perseguiu o aliado ao nomeá-lo para a pasta da Saúde.

“Me causa estranheza a decisão, digamos que seja uma decisão pitoresca. ACM Neto é presidente nacional do DEM e Leo Prates é deputado estadual do mesmo partido. A decisão da Justiça de considerar Leo perseguido só tem conclusão óbvia: o prefeito fazê-lo secretário de Saúde foi um ato de perseguição, porque a saúde está mal em Salvador”, alfinetou.

Éden afirmou que desconhece o movimento do PDT de sair da base do governador Rui Costa (PT). “A gente tem acompanhado e dialogado com o PDT, que é da base do governador. Temos visto esse movimento mais na imprensa do que na vida real. Seguimos em diálogo com o PDT”, declarou.

O petista ainda faz um alerta ao partido: “Os deputados estaduais do PDT estão na nossa base e continuam acompanhando as votações com o governador Rui e têm quadros ocupando as secretarias”.

Leia também:
Prates planeja lançar pré-candidatura pelo PDT em grande evento na AL-BA

Por: Henrique Brinco/BNews com imagem de divulgação