Nessa primeira semana do governo “Orgulho de viver aqui”, o prefeito Marcelo Brandão iniciou os trabalhos com a bênção de religiosos; já colocou o célebre capacete em visita às obras pelo interior do município; definiu o primeiro escalão da equipe de trabalho; participou de seminário sobre administração pública; viajou à cidade vizinha de Pintadas, para participar de assembleia do Consórcio Público da Bacia do Jacuípe; e também tomou medidas que já anunciara, dentre elas o ruidoso choque de ordem, que a princípio incumbe-se de fazer uma espécie de “faxina” na cidade.

A propósito de limpeza, também foram publicadas imagens estarrecedoras do espaço destinado aos interesses da cultura, esporte e lazer locais. Imagens de abandono e descaso que mostram semelhante grau de depreciação com as já publicadas sobre o hospital. Isso reflete em choque também, e já apresenta a necessidade de restauração dessa área, tão questionada sobre a atenção que recebe do poder público. Para que isso ocorra, será necessário prover esse ambiente da estrutura e instrumentos adequados, para que a foto do antes e do depois seja ainda mais impactante.

Essa operação de choque, embora tenha se notabilizado pelos trabalhos nas vias públicas, não deve se ater ao campo da limpeza. É válido, aliás, detalhar um pouco mais sobre essa e outras medidas, para que o cidadão ipiraense melhor compreenda as iniciativas do poder público para empreender as mudanças que a cidade precisa. Sobre o 1 Seminário para Identificação de Projetos Estratégicos sobre a Administração Pública, evento bem interessante, já nessa primeira semana, que seguramente deu alguns bons direcionamentos para o público participante, pouco se detalhou sobre o que transcorreu por lá, nem pela página oficial na rede, nem nos sites locais. Quem não participou, pouco ficou sabendo.

Numa era em que as mídias sociais aceleram o fluxo de informações, é muito comum a ocorrência de comentários e rumores a todo instante, e sobre os mais diversos assuntos. Por isso é de extrema importância para o bom encaminhamento das ações do governo, atentar para o monitoramento dessa área de comunicação e, por conseguinte, as discussões que estão sendo travadas, para também poder filtrar alguma boa sugestão ou experiência, que possa gerar alguma tomada de decisão.

Para que o cidadão ipiraense sinta-se, de fato, orgulhoso de viver aqui, como propõe o slogan de governo, há muito a ser feito e obviamente que um período de tempo será necessário. Fase de transição administrativa sempre envolve uma série de mudanças. Mas se bem atendidas as normas de interação entre governo e sociedade, fenômeno que está mais acentuado atualmente, embora seja algo “próprio e natural” dessa relação, um grande passo será dado em nome do fortalecimento da cidadania local.

Por Diogo Souza – Imagem do arquivo Caboronga Notícias