sábado, maio 18, 2024

Queima de Judas no Sábado de Aleluia, uma tradição que se perdeu no tempo em Ipirá

Uma tradição que fez parte da história de Ipirá, se perdeu no tempo por falta de isentivo, a tradicional queima de Judas, evento que acontecia sempre nas noites do Sábado de Aleluia, na antiga Praça Lauro de Freitas, “Praça do Mercado”.

Queima de Judas

A queima de Judas é uma tradição vigente em diversas comunidades católicas e ortodoxas que foi introduzida na América Latina pelos espanhóis e portugueses. É também realizada em diversos outros países, sempre no Sábado de Aleluia, simbolizando a morte de Judas Iscariotes.

Consiste em surrar um boneco do tamanho de um homem, forrado de serragem, trapos ou jornal, pelas ruas de um bairro e atear fogo a ele, normalmente ao meio-dia.

O Judas era feito com armação de madeira, roupas e enchimento de capim seco, espadas e bombas. espetáculo proporcionado pelo saudoso Benjamin Sampaio, reunia milhares de pessoas na praça para ouvir a leitura do testamento através do serviço de alto falante, com a narração dos locutores; Bitonho, Rogerio Pires e Jorge Luiz. Logo em seguida, acontecia a correria do público das espadas no momento da queima do Judas.

A tradição foi mantida por Agenor Fogueteiro e depois pelo filho de Benjamin, Welenilson Sampaio “Donda”, que com muita persistência conseguiu manter a tradição. Após o seu falecimento, o espetáculo desapareceu, deixando um enorme vazio na população.

Caboronga Notícias com imagem de divulgação

recentes