Quem fiscaliza as casas de shows em Ipirá?

Em 27 de janeiro de 2013 o Brasil assistia perplexo a uma das maiores tragédias: o incêndio na boate Kiss numa discoteca na cidade de Santa Maria no Rio Grande do Sul. Foram 242 pessoas mortas e mais 680 feridos.

Na ocasião, o país inteiro passou a questionar sobre a segurança das casas de shows e entretenimento, resgatou-se leis de regulamentação destes espaços, sugeriu-se outras normas de segurança…enfim, tudo dentro do afã da tragédia como é típico de nossa sociedade.

Na cidade de Ipirá se promove eventos variados, festas de pequeno, médio e grande porte mas, cabe um questionamento: todas as casas de shows existentes no município obedecem às exigências mínimas de segurança? Possuem alvará de funcionamento para atuarem como tal? Quem cuida desta fiscalização?

Vale lembrar que já tivemos um evento na cidade, numa festa da banda Asas Livres, que beirou o acontecimento de uma tragédia onde pessoas com ingressos comprados não puderam sequer ter acesso à festa pois houve uma superlotação por parte da produção e o espaço tinha espaço reduzido.

Portanto, gostaríamos de pedir aos órgãos competentes que, publicamente, falem sobre as condições legais das casas de shows da cidade no sentido de oferecer à população uma segurança maior quando participarem de uma festa. Não vamos pensar em alternativas apenas quando acontece alguma tragédia.

” Estou chateado desde o governo passado. Cara, eu me acabo, pago os impostos certinhos do Axé Vavá, obedeço todas as regras e isso tem um custo. Tem locais que não tem nem alvará porque estão fora de todos os padrões, mas é autorizada a fazer festa pela própria prefeitura? então é bom que a prefeitura diga quem está e quem não está autorizado a fazer festa”. Disse Welber Santos.

Por Welber Santos – Imagem da Boate Kiss