Nesta semana me oportunizaram ouvir uma reflexão referente ao momento econômico da nossa cidade. Um trecho ficou no meu coração: “… muitos desempregos… ou vai matar por coronavírus ou vai matar de fome. Feira não pode parar”. Naquele instante eu morri. Morri sem coronavírus e sem fome. Morri de compaixão de nós que temos empresa e morri de compaixão de todos aqueles que precisam dos seus salários.

Mas…, na minha humilde limitação intelectual na área da Economia e Gestão Financeira, apesar de ser formada também em Administração de Empresas, fiquei pensando: – Será que não podemos Salvar a Economia e Salvar a Vida? Por que permanecer na política de sempre: ou Salva a Vida, ou Salva a Economia? Quem foi tão incompetente que nos deixou chegar a esse ponto de escolher ou a Vida ou a Economia? Terá sido a OMS [Organização Mundial da Saúde]? A política?

Davi Braz, um dos meus filhos, há dois anos que já vinha me alertando sobre o coronavírus. Na época, ele gravou até um vídeo. Imagine o que já sabiam os entendidos do assunto? O médico Dráuzio Varella foi tão criticado. Meu Deus! Por que a permissão do Carnaval? Para salvar a Economia. Não foi apenas por questão cultural. Jamais suspenderiam para Salvar Vidas! Tanto que não suspenderam. Agora é tarde. Não nos culpem pela morte da Economia porque apoiamos o Isolamento Social.

Médicos, cientistas, governantes do mundo inteiro solicitam isolamento, quarentena e cuidados. Nós obedecemos por reconhecermos a precisão. O mundo inteiro está clamando pelo Isolamento Social. Teve o dia de fechar as portas. Aguardamos a ordem das instâncias superiores. Coletivamente fizemos. E agora? Agora, “o Brasil não pode parar”. Querem nos fazer de fantoches? Não somos!

Sem romantismo religioso, vamos buscar em Deus e nas experiências de sucesso os meios para Salvar a Vida e Salvar a Economia. Somos vitimas de um sistema bruto! VOLTAR ÀS ATIVIDADES NÃO. AGORA, NÃO! A imagem acima representa no que a Escolas acreditam. Estamos de portas fechadas, correndo os mesmos riscos econômicos! Mas “a Vida… Diga lá meu irmão… A Vida… é o sopro do Criador numa atitude repleta de Amor… a Vida é viver!”. Juntos pela Vida e pela Economia, vamos tentar chegar ao dia *15 de abril! Compartilhe essa campanha! #quemsalvavidasalvaeconomia

*Data em que finda a validade do Decreto Estadual nº 19.529, que “regulamenta as medidas temporárias para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus”.

Judinara Braz

Diretora da Educação Infantil e do 1º Ano da Escola João Paulo I.
Psicóloga especializada em Análise do Comportamento.
Administradora de Empresas com Habilitação em Marketing.
Autora dos livros “Sapatinho de Natal” e “Sala de Aula, a vida como ela é”.

Do Acorda Cidade com foto: Erivan Cerqueira