quarta-feira, julho 17, 2024

Remédios ficam mais caros com aumento anual e do ICMS, inclusiva na Bahia

Dez Estados brasileiros e o Distrito Federal decidiram aumentar a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) neste ano. Com o ICMS mais alto, os remédios também ficarão mais caros.

Todas as categorias de remédios terão os valores reajustados com o aumento do imposto e esse não será o único. Em março, haverá outro aumento em função do reajuste anual definido pela Cmed (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), que é autorizado pelo governo.

Representantes do setor farmacêutico afirmam que o aumento já está ocorrendo ao longo deste mês, com efeito do aumento do ICMS. Como as farmácias trabalham com estoques enxutos, todos os medicamentos comprados a partir do dia 1º de janeiro já estão mais caros.

“O aumento do preço dos remédios para o consumidor será automático”, afirma ao jornal O Estado de S. Paulo Sergio Mena Barreto, CEO da Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias).

Barreto frisa ainda que nem indústria nem varejo têm como arcar com esse custo.

O ICMS será aumentado em até 2,5 pontos percentuais a alíquota. A partir deste mês, seis unidades da federação – Ceará, Paraíba, Pernambuco, Tocantins, Rondônia e Distrito Federal estão cobrando imposto mais elevado. Outros cinco Estados – Bahia, Maranhão, Rio de Janeiro, Paraná e Goiás – se preparam para subir o ICMS até abril.

Fonte: Terra/Imagem Ilustrativa

recentes