quarta-feira, maio 29, 2024

Saudade da queima de Judas de Ipirá

Uma das mais importantes manifestações culturais do município de Ipirá, se perdeu com o tempo por falta principalmente de incentivo popular, a tradicional queima de Judas na noite de Sábado de Aleluia na praça do Mercado no centro de Ipirá, deixou um vazio.

Judas Iscariotes

Segundo a Bíblia, Judas Iscariotes foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. O discípulo teria traído Jesus ao entregá-lo para a crucificação em Jerusalém em troca de pagamento. O relato bíblico é de que Judas entrou em desespero: “E ele, atirando para o templo as moedas de prata, retirou-se e foi-se enforcar” (Mateus, 27:5).

A tradição da queima de Judas, foi iniciada pelo musico Benjamin Sampaio da década de 60, tradição que após o falecimento de Benjamin teve sua continuidade através de Agenor Fogueteiro e também com o seu falecimento, foi mantida por Welenilson Sampaio, (Donda de Benjamin).

Com o falecimento de Donda, amigos tentaram manter a tradição, que também morreu por falta de apoio.

O ponto alto da queima de Judas era a leitura do testamento, que atraia a atenção de milhares de pessoas que se concentravam na praça para gargalhar com os nomes que eram citados. O testamento era lido pelos locutores de alto falante; Rogerão, Jorge Luiz e Bitonho.

O momento mais aterrorizante para o público era a correria provocada pela guerra de espadas no momento da queima do Judas.

Caboronga Notícias com imagem de divulgação

recentes