Se vivo fosse, o médico Delorme Martins completaria nesta terça-feira (21), 104 anos

214

Se vivo fosse, o médico e maior liderança política de Ipirá, Delorme Martins da Silva, completaria nesta terça-feira (21), 104 anos.

Delorme nasceu em 1918, no município de Baixa Grande, foi criado em Macaúbas, onde realizou os estudos iniciais. Antes da adolescência, mudou-se para Salvador, a fim de completou seus preparatórios, ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia e realizou o curso médico. Ainda estudante, foi um dos fundadores da União Nacional de Estudantes (UNE).

 Ele iniciou sua vida profissional em Ipirá, trabalhando com seu pai, também médico e clínico de renome e faleceu aos 93 anos, no dia 04 de fevereiro de 2011.

Em nota, o escritor ipiraense Alberto Pires, disse o seguinte:

O tempo lapida, deixa traços e faz história… Atravessar décadas, imprimindo em cada etapa a vontade constante em mudar… De visitante desconhecido tornou-se o filho ilustre… Foi amado, idolatrado, odiado, perseguido… Aprendeu, reaprendeu e ensinou… Teve inúmeras perdas e inesquecíveis vitórias, com isso se moldou em uma figura lendária, dessas que sempre lembramos em quase todas as situações… Líder nato, articulador como poucos, visionário na clareza da sabedoria conquistada pelo tempo… Amou muitas vezes, conquistou uma legião de fãs, sucesso absoluto com o público feminino, o seu charme era a sutileza despretensiosa do olhar… Assim era DELORME MARTINS DA SILVA… E que legado magistral, que percurso nobre, que trajetória única e incomparável… Conversei muito, sobre tudo ou quase tudo, dos seus sonhos, das casas proibidas,dos seus medos, dos seus opositores, dos seus traidores… Mágoas não tinha, pois naquele velho coração a sensatez sempre foi a sua maior aliada… Com uma vida dedicada ao nosso torrão fez o que pode para dignificar a sua profissão… Caminhos tortuosos, desvios necessários até chegar ao seu destino e geralmente o seu destino era ajudar o próximo e como fazia bem o seu ofício… Acredito que lá no plano eterno ele olha realizado por tudo que fez aqui nessa passagem e com isso retribui com boas vibrações os que ficaram aqui nesse mundo tão complicado. Sua família não é a só de sangue, ele deixou muitos irmãos de coração, amigo como poucos, solidário, generoso e humano… Nosso torrão foi transformado pela sua passagem tão luminosa… Parabéns amigo querido… Muita luz sempre em sua eterna morada.

Caboronga Notícias com imagem do arquivo