Nas próximas semanas, o Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar o inquérito contra a senadora petista Gleisi Hoffmann e deve decidir se ela será ré, ou não, na Lava Jato. A decisão de colocar o caso na pauta partiu do ministro Teori Zavascki.

Também é alvo do inquérito o marido da senadora, o ex-ministro de Lula, Paulo Bernardo. Os cinco ministros que integram a 2ª Turma do Supremo terão que decidir se recebem ou não a denúncia oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o casal.

Se a acusação for recebida, Gleisi passará a ser ré perante o Supremo e terá que responder a uma ação penal. A previsão é de que o caso seja discutido a partir da sessão do dia 30 de agosto, segundo informações do jornal O Estado de São Paulo.

A investigação contra Gleisi e seu marido, Paulo Bernardo, foi aberta em março de 2015, na primeira leva de inquéritos enviada por Janot ao Supremo por envolvimento de parlamentares na Lava Jato. Em maio deste ano, após as investigações policiais, o procurador-geral da República ofereceu a denúncia contra o casal. Gleisi e Paulo Bernardo foram denunciados pela PGR após a investigação policial concluir que os dois receberam R$ 1 milhão de propina de contratos firmados entre empreiteiras e a Petrobras. O valor teria sido utilizado para custear as despesas de campanha da senadora em 2010.

Por Redação Bocão News