sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Servidor público é suspeito de estuprar criança de 10 anos na Bahia; trabalhador foi afastado e pode ser demitido da função

Um servidor público é suspeito de estuprar uma criança de 10 anos no município de Morpará, no oeste do estado. Não há detalhes sobre a identidade, nem a localização do suspeito.

De acordo com informações apuradas pela equipe de produção da TV Oeste, afiliada da TV Bahia na região, o suspeito trabalha como motorista na prefeitura da cidade. A criança relatou que ele abordava ela com frequência e a levou para a casa dele, onde teria acontecido o abuso sexual.

O homem teria ligações com a família da vítima e por causa disso, tinha a confiança da criança. Os pais da menina levaram ela para o Hospital Jonival Lucas, no município de Souto Soares, em busca de atendimento médico, após ter relatado os abusos.

A família da criança afirmou que prestou um boletim de ocorrência e a menina foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), para realizar exame de corpo e delito. O g1 entrou em contato com a Polícia Civil e aguarda retorno.

Em nota, a Prefeitura de Morporá que repudia qualquer ato criminoso e afastou o funcionário pelo período de 30 dias. Disse ainda que caso o ato seja comprovado, o “Departamento de Pessoal deverá imediatamente publicar o Termo de Rescisão Contratual, de forma unilateral”. [Confira nota na íntegra abaixo].

Nota de repúdio Prefeitura Municipal de Morpará

Com relação ao suposto crime de abuso contra menor de 10 anos, denúncia recebida pelo Conselho Tutelar de Morpará, em 26 de dezembro de 2023, que de imediato conduziu a vítima para realização de exame junto ao Departamento de Polícia Técnica , bem como expediu relatório ao Ministério Público Estadual para adoção das providencias cabíveis, externo aqui o meu repúdio a qualquer ato criminoso, na convicção de que os órgãos competentes: Policial Civil , Ministério Público e Poder Judiciário, tomarão as providências cabíveis para apuração do caso, e havendo constatação do crime, que seja responsabilizado e punido o criminoso.

E tendo em vista a gravidade da denúncia, por se tratar do acusado ser funcionário público, fica o servidor afastado de suas funções, pelo período de 30 dias, e após laudo, comprovando o ato, o Departamento de Pessoal deverá imediatamente publicar o Termo de Rescisão Contratual, de forma unilateral.

Em tempo informamos que a equipe do CRAS foi acionada para fazer o acompanhamento da vítima e familiares. Por fim externo nossa solidariedade à vítima e as famílias envolvidas.

Fonte: g1 Bahia — Foto: Alberto Maraux

recentes