A cada setembro as Sociedades do Aparelho Digestivo realizam por todo o Brasil campanhas de conscientização sobre o câncer colorretal. É o denominado Setembro Verde. Hoje a doença ocupa o segundo lugar em casos de câncer no país. Em Feira de Santana a campanha é coordenada pelo gastroenterologista Fábio Ferreira. Ao Acorda Cidade ele afirmou que a campanha é nacional e luta pelo ao combate e conscientização do câncer colorretal.

“Aqui em Feira há três anos a gente desenvolve um trabalho voluntário onde a gente une médicos, enfermeiros, clínicas e instituições envolvidas no tratamento do câncer colorretal. Essas instituições vão até o serviço público e oferecem, pra um público específico, exames para fazer o diagnóstico precoce do câncer colorretal e também a prevenção. Esse ano pela pandemia do novo coronavírus fomos prejudicados na nossa campanha. Mas estamos fazendo dois pacientes, que foram previamente selecionados, por dia”, afirmou, acrescentando que as pessoas que passaram por triagem, receberam toda a assistência, desde exames laboratoriais a exames cardiológicos de forma gratuita.

De acordo com o médico Fábio Ferreira, todas as lesões diagnosticadas nessas pessoas estão sendo retiradas para prevenir o câncer. Ele afirma que a campanha Setembro Verde é muito importante para levar informação para a população, já que este tipo de câncer é silencioso e requer atenção para o diagnóstico precoce.

“Hoje cerca de 40 mil pessoas estima-se que venham a ter o câncer esse ano no Brasil, então a gente tem que ter cuidado, pois esse câncer é silencioso. Na grande maioria dos casos não vem apresentando sintomas e a pessoa quando descobre já tá na fase mais avançada. Quando não diagnosticado precocemente podemos ter um câncer mais avançado e pode ter metástase e já vai estar em outros órgãos. Aí o tratamento fica prejudicado”, afirmou.

O médico destacou que o grande segredo para a doença não evoluir e se tornar mais grave é o tratamento precoce. Segundo ele, também é importante melhorar os hábitos de vida com uma boa alimentação e atividade física regular.

“As pessoas que já tem mais de 45 anos, que tem história familiar de câncer ou aquelas pessoas que tem obesidade, diabetes, sedentarismo, que fumam, usam muito álcool, que consomem mais que 500 gramas de carne vermelha por semana, que consomem embutidos, que tem baixa ingestão de fibras, que tem a barriga avantajada, devem ter cuidado, conversar com o médico e fazer os exames. Nos últimos anos estamos trazendo as pessoas aos 45 anos para começarem a fazer a colonoscopia, que é o exame que a gente consegue retirar as pequenas lesões que são precoces sem a necessidade de cortes”, frisou.

As informações são do repórter Ed Santos do Acorda Cidade