A Recomendação Conjunta nº 01/2018, elaborada pelo TCM e Rede de Controle da Gestão Pública do Estado da Bahia, com a finalidade de assegurar que os recursos oriundos das diferenças do FUNDEF (precatórios) sejam aplicados, exclusivamente, na manutenção do desenvolvimento do ensino – MDE, foi uma ducha fria nas pretensões da APLB de Feira de Santana.

É que a entidade defende que 60% desses recursos sejam rateados com os professores. O TCM está encaminhando aos prefeitos baianos a Recomendação. Com isso Colbert Martins poderá investir os quase R$ 260 milhões na melhoria da educação no Município.

Fonte: Bahia na Política