O ex-presidente da República Michel Temer está proibido de deixar o Brasil sem autorização judicial desde que foi acusado de corrupção passiva e outros crimes. Ele foi convidado por Jair Bolsonaro para comandar a missão humanitária no Líbano.

Temer chegou a ser preso preventivamente duas vezes, em março e maio do ano passado.

De acordo com o jornal O Globo, o ex-presidente conseguiu aval da Justiça para viajar para o exterior em duas ocasiões para dar palestras nas universidades de Oxford, na Inglaterra, em outubro, e de Salamanca, na Espanha, em dezembro.

Para poder comandar a missão humanitária no Líbano, abalado pela explosão no Porto Beirute, Temer já fez o comunicado à Justiça para conseguir a autorização de viajar para o Oriente Médio.

Por: Redação BNews  com imagem de Antonio Cruz/Agência Brasil