Ipirá já caiu na rotina, ou melhor, caiu a ficha. Acabaram-se as mobilizações do povo. Antes das eleições, era um ‘Deus nos acuda’ com o movimento de gente, prá lá e prá cá, gritando, pulando e azucrinando. Cidadania de cartolina, dura enquanto pula.

Depois das eleições, já foi! O povo toma um canto de carroceria que vai parar no beleleu. Eles aplicam um chá de sumiço goela abaixo. É sempre assim: de quatro em quatro anos, as oligarquias do jacu e macaco levam três meses esquentando o facho da população, depois, quando resolvem a questão de quem vai comandar os cofres públicos lascam um ponta-pé no traseiro dos incautos, que não se incomodam de esperar por mais quatro anos pela contenda e ferração no curral eleitoral das oligarquias.

Quem parar para pensar um pouco mais, não vai ter dúvidas de que, se a população de Ipirá se movimentasse quatro anos, exigindo os seus direitos e o que estas duas oligarquias (jacu e macaco) lhes devem e lhes surrupiaram, este município seria um dos grandes municípios do Estado da Bahia, mas para que tal coisa aconteça, a cidadania tem que ser verdadeira, legítima e autônoma, isso, as oligarquias já lhes roubaram faz tempo e jamais permitirão.

Outro ponto é que as duas oligarquias apresentaram Programas de Governo para Ipirá. Observem o que eles botaram no livrinho:

“A base da administração que pretendemos desenvolver no município de Ipirá. Teremos, sempre, a austeridade como palavra de ordem para cumprir, como manda a Lei, os compromissos impostos, de modo que haja a reserva necessária para os investimentos com os recursos próprios do município e os vindo de outras fontes, uma vez que há muito por ser feito.”

“Administração pública com honestidade, legalidade, moralidade, transparência e eficiência. Uma administração moderna, democrática e transparente, esse setor tem sob sua responsabilidade um dos pontos básicos da administração municipal: recursos e despesas de convênio, de pessoal, de contratação de serviços, de compras, de licitações, de arrecadação de tributos, etc.”

Quem lê isso aí, vai logo pensando: ”Pronto, que Ipirá vai entrar no Céu!” Escrito por eles: honestidade, legalidade, moralidade, austeridade, transparência, eficiência, moderna, democrática. É disso que Ipirá precisa. É o modelo de administração que Ipirá anseia. Foram eles que escreveram isso aí. Não é que essas duas oligarquias sabem qual é o caminho correto! E por que não agem como botam no papel?

Opinião dos estudantes do Evangelina e Maria Bastos: “Que os prefeitos parem de fazer promessas e cumpram o que falam.” Íris do Santos 1º. C

“Que apliquem projetos que aproximem os cidadãos usando nossa cultura como veículo para isso.” Jaciana Bianck Oliveira 2º.A

“Incentivar o povo de Ipirá a cobrar e participar da política em Ipirá.” Perla Cintra Santos 2º.A

“Para que essa cidade vá em frente e desenvolva necessita só, manter a palavra e não ser covarde e envergonhar a população.” Daiana Moraes Borges

“Primeiramente a conscientização das pessoas, porque não é simplesmente colocar a culpa nos políticos dizendo que a culpa é somente deles; precisamos cuidar e preservar os bens de nossa cidade. Precisamos escolher bem, antes de escolher quem vai ser o futuro prefeito da nossa cidade; precisamos saber cada proposta e cada argumento, para analisarmos qual o melhor. Também, é necessário acabar a corrupção e mais consciência dos políticos, porque a cidade precisa desenvolver, mas se os políticos não fizerem o que prometeram vamos continuar sem desenvolver.”Yasmin Lima Pinto 1º. B

“Antes de tudo a sociedade precisa ter consciência no que está escolhendo para representar sua cidade. Existem muitos políticos que só fazem promessas.”  Milena Santana 3º. A

“Uma cidade desenvolvida se constrói com gestores que tenham empatia com os anseios do povo.”  Guilherme Dias 3º. A

“Uma nova política, onde os coronéis não tenham poder! Uma política onde as prioridades da cidade sejam respeitadas e a responsabilidade prevaleça.” Beatriz Carvalho 2º. B

“Ter representantes direitos, que possam ouvir o povo, para saber o que necessitam e o que melhorar na cidade. Ter respeito aos e entre os cidadãos.”  Ana Caroline Freitas 1º.B

“No meu ponto de vista, a cidade de Ipirá precisa de um bom governo, assim a cidade seria governada do modo correto. Precisamos de ipiraenses que governem bem este município, olhando para a população ipiraense.” Rayssa Santana Santos

“Dar voz à população, que, muitas vezes, não é devidamente ouvida.” Ívine Santos Carvalho 1º.A

“Bom, pra mim, esse negócio de dois lados, ‘jacu e macaco’ não tem muita importância, pois, os dois dizem que querem o melhor pra nossa cidade; então prá que isso? Ipirá é uma cidade boa, pequena e o povo deveria valorizar mais. Quero ver se esses políticos trarão ou farão tudo que prometem.” Lívia Silva Fernandes Costa 1º. A

“Independente de quem for o prefeito, que ele mão pense em si mesmo, mas sim no povo.” Victória Rocha Cintra 1º. A

“De início é necessário a construção de uma política mais limpa, sem partidarismo por parte da população, onde candidatos com novas propostas tenham mais espaço, para o desenvolvimento maior da política da cidade.” Kessia Maria 3º.  B

“Os políticos levarem mais a sério o papel deles na sociedade, implantando projetos importantes e que beneficiem toda a população.” Iarlley Machado Souza 3º. A

“Para o grande progresso venha acontecer é preciso que os próprios cidadãos sejam honestos e tenham uma mente aberta, para que juntos, possamos lutar para a melhoria da cidade em que vivemos. É preciso deixar a paixão política de lado e pensar no futuro e bem-estar da população, porque quando beneficia a todos, a cidade ganha progresso e muda para melhor.” Milena Buriti 3º. A

Caboronga Notícias, postado por Agildo Barreto