terça-feira, fevereiro 27, 2024

Veja vídeo: Micareta das antigas em Baixa Grande na gestão de Mimi

A micareta é uma festa popular de Baixa Grande, que sempre foi referência na região. Me lembro de algumas boas micaretas no Governo de Mimi. Em 1989, 1990, 1991, 2001 E 2002. É Verdade já tem alguns anos, é que os anos passam rápido.

Neste período posso descrever traços marcantes da festa. Primeiro a cidade ficava toda enfeitada, a começar pelos postes de luz, com fantasias e artefatos ornamentado pelo Professor Wilson.

Havia um palco na frente da prefeitura, onde a visita popular era presença constante. Os seguranças era o senhor Léo e Chicão. O trio que mais participava da festa era o Brilhaê, com índio e Tânia Luz.

A banda chicana fez sucesso neste período, e a avenida concentrava enorme multidão. Havia uma integração da festa com a comunidade. Sendo realizado o tradicional futebol entre os artistas e a equipe de trabalho da prefeitura.

Era formado uma comissão grande para organizar a festa e se reuniam na prefeitura com a presença de comerciantes e personalidades que adoravam a micareta.

Nas mais antigas micaretas, havia depois de meia noite festa baile no mercado, e no clube 05 de março. Toda a sociedade participava da festa. Houve também o primeiro desfile homo afetivo da história de Baixa Grande no clube 05 de março.

As bandas começavam a tocar logo cedo, e os blocos chupa toda foi um dos pioneiros, depois o beba égua, paquera e cia e to beba. Todos fizeram história.

O beba égua era tradicional e começou pela brincadeira de amigos que visitavam as casas das pessoas. A banda de sopro era a marca do bloco.

Nas micaretas deste período havia o serviço de sonorização, Max som, com o jornalista Saldanha, e as caixa de som ao longo da avenida nos postes.

O jornalista Everildo fazia a cobertura da festa com entrevistas, nas ruas, blocos, clube e todos os espaços. O radialista Saldanha fazia uma oração nas manhãs, no final do dia e à meia noite, transmitida na avenida pelas caixas de som.

Na segurança tinha um batalhão quase inteiro da polícia militar que atuava ostensiva e preventivamente.

Eu, nas micaretas de 1989 a 1991 era apenas criança, mas lembro bem, pois os artistas ficavam hospedados na creche, onde hoje é o Plinio Tude, e também em nossa casa.

Era uma alegria indescritível, festival de música baiana que eclodia a época. As bandas locais todas faziam apresentação nos trios. E os trios era atração para os meninos e menina da época.

Outro traço interessante era as danças que sobressaiam, sendo coreografias de destaques. Sem falar no carro tipo alegórico, que ficava parado, mas onde se apresentavam a rainha e princesa da micareta de Baixa Grande.

Em 2002, participou da festa, uma musa, despida, apenas com pintura trazida pelo empresário Gegeu.

Assim e muito mais eram as micaretas deste período. Algumas foram denominadas de Micareta da Paz, com tema paz e alegria.

Bruno Pamponet – Professor, Advogado e Poeta

recentes