Após quatorze meses de uma denuncia feita pelo vereador Auirenival Tavares de Matos da tribuna da Câmara de Baixa Grande quando afirmou que o município destina através de pactuação em Saúde, mais de R$ 34.000,00 pra o município de Ipirá, o também vereador Elias Ferreira da Silva (PR), apresentou um requerimento solicitando do prefeito Pedro e da Secretaria de Saúde, detalhes sobre os repasses e quais os pacientes de Baixa Grande já foram atendidos em Ipirá.

Na sessão da última quinta-feira (26), durante 20 minutos os parlamentares comentaram o requerimento e todos por unanimidade acharam estranha essa pactuação, onde todos concordaram com a necessidade da prefeitura examinar o fato.

O vereador Judelson Queiroz questionou os demais colegas sobre a forma que o município irá se posicionar pelo fato de que o próprio procurador do município, Bel. José Carlos Matos de Oliveira que exerce a função de procurador da Prefeitura Municipal desde 2013 é natural de Ipirá e a gestão daquele município também pertence ao PT?

O estranho dessa história toda é que o prefeito Ademildo Almeida (PT) em pronunciamento na tribuna da Câmara de Ipirá afirmou que um dos motivos do não funcionamento das ambulâncias da SAMU é a falta de pactuação com municípios da região. Segundo o prefeito, o único município que se prontificou a participar do pacto e assim mesmo com uma pequena quantia, foi Baixa Grande.

Um dos grandes entraves da administração de Ipirá é a Saúde que vem oferecendo aos seus munícipes um atendimento deficitário, com redução de leitos hospitalares, hospital sucateado, ambulâncias em péssimo estado, UPA abandonada e ambulâncias do SAMU expostas ao tempo.

Cabe então aos vereadores de Ipirá e Baixa Grande, uma união de forças para averiguar as informações de forma detalhada passa descobrirem toda verdade desta história mal contada.

Caboronga Notícias com informações do Bacia do Jacuípe