Você, com quem sempre dialoguei no rádio e ajudou em minha projeção política, gostaria de ter, agora, um governo participativo?

A prefeitura de Ipirá parece disposta a tomar uma decisão com auxílio da população. Algo raro. Foi lançada enquete em rede social, nessa quarta, 25, perguntando sobre a preferência de local para realização do São João 2018: praça Roberto Cintra ou José Leão dos Santos (em frente à Casa São Francisco).

Perguntar sobre local de festa é fácil. Difícil seria perguntar sobre a escolha da população, se pela restauração do Mercado de Artes (após incêndio, em novembro de 2016), ou se pela requalificação, agora emperrada, da praça São José (‘Puxa’).

Difícil seria uma abertura com a população, a exemplo dos tempos de âncora em programa jornalístico. Perguntar sobre local de festa apenas ‘assanha’ o público, porque o povo fica envolvido mesmo com isso, e desvia o foco sobre algum outro assunto mais importante, que poderia ter a consulta popular.

Complicado mesmo é perceber quando e onde alguma medida foi tomada pelo governo, após levar em consideração a opinião do povo, como foi dito num programa Papo Reto desses, ao longo de 2017, para tratar da escolha do nome da avenida Rio Grande do Sul, por exemplo.

Uma das maiores dificuldades hoje, portanto, é fazer valer o lema de governo ‘É a vez e a voz do povo’, tão alimentado em campanha. Dar voz ao povo, hoje, parece muito mais um estorvo do que qualquer outra coisa que possa lembrar uma gestão participativa, que possa parecer com aqueles momentos de escuta atenta e predisposta à solução dos problemas da cidade, no tempo de rádio.

Por Diogo Souza /Mídia Ipirá com imagem do google