s senadores pela Bahia Otto Alencar (PSD) e Jaques Wagner (PT) se posicionaram com cautela em relação ao impeachment de Jair Bolsonao, discussão retomada após o colapso na saúde do Amazonas.

“Não sou um torcedor do impeachment, pois acho que uma democracia precisa de estabilidade e tranquilidade. Mas é natural que este movimento cresça diante de um governo que não responde os anseios da sociedade”, escreveu o petista, em publicação no Twitter neste sábado (15).

O líder do PSD no Senado foi ainda mais enfático: em entrevista ao BNews, disse ser contra a medida, ao menos neste momento. “Dentro de uma crise sanitária sem precedentes, onde pessoas estão morrendo, num cenário desse […] culpar exclusivamente o presidente é jogada política, não concordo com essa análise, pelo menos agora”, avaliou o senador.

Na sexta-feira (15), partidos de oposição decidiram entrar com um novo pedido de impeachment de Bolsonaro. Em nota, Rede, PSB, PT, PC do B e PDT, falam na prática de “crimes de responsabilidade em série” pelo mandatário, “que resultaram na dor asfixiante do Amazonas e de milhares de famílias brasileiras”.

“Bolsonaro tem culpa? Tem. O negacionismo da doença lá atrás, nessa questão da vacina…Quem quiser ajudar, não venha com ‘balde de gasolina'”, completou Otto.

Por: Geraldo Magela/Agência Senado