Agnaldo Moreira Barbosa, ou simplesmente, “Xoxó dos 8 Baixos”, nasceu em Ipirá e escolheu Baixa Grande para viver, de onde ganhou o reconhecimento do público nas festas juninas, exposições e vaquejada em toda região, pelo estilo cabra da peste de tocar sua sanfona de 8 baixos, a chamada pé de bode.

Conheça um pouco da história da sanfona de 8 baixos.

Ao contrário de países americanos de colonização espanhola, no Brasil, o acordeom diatônico de oito baixos ficou mais conhecido como sanfona de oito baixos. Talvez, a nomenclatura diferenciada pode ter se originado por influência dos colonos portugueses, que não traduziam os nomes dos instrumentos, mas, ao contrário, os reinventavam.

O acordeom diatônico de oito baixos consiste em um pequeno acordeom formado por vinte e um botões para a mão direita e oito botões para a mão esquerda. Ao contrário de acordeões cromáticos de botões ou acordeões com teclados de piano, o acordeom diatônico é um instrumento bissonoro, ou seja, cada botão, quando pressionado, emite dois sons distintos – um na abertura do fole e outro no fechamento.

Normalmente, eram apelidos regionais, o que constata o fato que este instrumento teve maior acolhida no Brasil entre as populações de baixo poder aquisitivo, sobretudo nas comunidades rurais e de periferias urbanas, durante a 1a metade do Séc. XX.

Entre estes “apelidos”, a palavra “sanfona” se tornaria a mais usual entre todas. Uma das razões deste fato é o de que este termo foi utilizado pela indústria fonográfica a partir da década de 1950, quando são gravados os primeiros fonogramas de sanfoneiros de origem nordestina como Gerson Filho, Pedro Sertanejo, Januário e Severino Januário. Zé Calixto, por exemplo, relata que desconhecia a palavra sanfona em sua terra natal, Campina Grande, Paraíba, onde o termo corrente para designar o instrumento era fole de 8 baixos.

Ao lado de grandes nomes que levaram o nome de Ipirá pelo Brasil a fora, a exemplo de Issac Reis, Carlito Bananeira, Tranquilo dos 8 Baixos, Quincas dos 8 Baixos “já falecidos”, ainda temos Hermes dos 8 baixos, Dudu, dos 8 baixos, Betão, Galeguinho e o mestre Zé Henrique, Xoxó disputa entre Ipirá e Baixa Grande a sua titularidade.

Atração marcante nos concursos de quadrilha junina do São João, da Expo-Ipirá e da saudosa Festa do Bode, Xoxó merece o reconhecimento e a homenagem de Ipirá e Baixa Grande, pelo seu exemplo de cidadão humilde, honrado e do grande talento musical.

Caboronga Notícias