sábado, junho 22, 2024

Aumenta reprovação ao governo federal; aprovação se mantém estável

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) registrou uma estabilidade na taxa de aprovação, mas teve um crescimento na reprovação entre os eleitores espalhados pelo País, segundo a nova pesquisa do Instituto Datafolha. O levantamento foi feito entre terça-feira, 12/9, e quarta-feira, 13, e mostra que 38% consideram a gestão do petista boa ou ótima, enquanto que 30% acham regular. Outros 31% avaliam o mandato do presidente como ruim ou péssimo, e 2% não souberam opinar.

O Datafolha ouviu 2.016 pessoas com mais de 16 anos em 139 cidades. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. Foram ouvidas 2.016 pessoas em 139 cidades na terça (12) e quarta (13). A margem de erro é de dois pontos, para mais ou menos.

Na última pesquisa feita pelo Datafolha em junho, Lula aparecia com uma aprovação de 37%, enquanto que 27% consideraram a sua gestão como ruim ou péssima. Outros 33% avaliavam a gestão como regular, enquanto que 3% dos eleitores não opinaram naquela ocasião.

Também foi perguntado aos eleitores sobre a sua expectativa para o governo no futuro. Na atual pesquisa, 43% responderam que será bom ou ótimo. Em uma pesquisa feita em março, esse percentual era de 50%. O número dos que preveem um mandato regular cresceu dentro da margem de erro (26% para 27%). Já os que veem uma piora saltaram de 21% para 28%.

Na pesquisa feita nesta semana, 17% acham que Lula fez mais do que se esperava dele, sendo que, em março, esse percentual era de 18%. Outros 53% acham que ele fez menos que previsto (antes eram 51%). Os que acham que o presidente cumpriu as expectativas se mantiveram em 25%.

Lula tem maior rejeição entre moradores do Sul, e garante tradicional aprovação entre o Nordeste

A melhor aprovação de Lula está entre os eleitores nordestinos, que historicamente o entregam vitórias eleitorais, com 49% dos habitantes da região considerando a gestão ótima ou boa. O petista também tem avaliações positivas entre os menos instruídos (53%) e os mais pobres (43%).

A maior rejeição está entre os moradores da Região Sul, onde 39% dos eleitores o rejeitam. Também foram registrados porcentuais negativos entre os mais escolarizados (39%), os que recebem entre cinco a dez salários mínimos (44%) e os evangélicos (41%).

Em reprovação, Lula só perde para Bolsonaro

Na série histórica da aprovação de presidentes eleitos nos oito meses de um primeiro mandato, – desde Fernando Henrique Cardoso em 1994 – Lula tem a segunda pior reprovação entre os governantes, se saindo melhor apenas do que o antecessor, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Quando completou oito meses de gestão em 2019, Bolsonaro tinha uma aprovação de 29%, nove pontos porcentuais a menos do que o petista. Já a reprovação foi de 38%, sete pontos a mais do que Lula. Outros 30% consideraram a gestão do ex-presidente regular.

Fonte: Terra

recentes